Bilhete Único Mensal começa a valer em novembro em São Paulo

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Novo modelo permitirá que o usuário viaje de ônibus quantas vezes quiser durante o mês. Tarifa mensal prevista de R$ 140 deve mudar com o reajuste da tarifa, previsto para junho

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), anunciou nesta terça-feira (2) que o Bilhete Único Mensal entrará em vigor em novembro deste ano ao custo aproximado de R$ 140. Uma das principais promessas de campanha de Haddad, o novo modelo permitirá que o usuário viaje de ônibus quantas vezes quiser durante o mês.

undefined
Valor do Bilhete Único Mensal será confirmado só após o reajuste da tarifa de ônibus em São Paulo

De acordo com o prefeito, o cálculo se baseou na passagem unitária (R$ 3). Por esse motivo, o valor de R$ 140 deve sofrer alguma alteração com o reajuste da tarifa, previsto para junho. “O valor será de R$ 140 tendo janeiro de 2013 como data referência”, afirmou Haddad durante o anúncio, na sede da prefeitura, no centro da capital.

Para que o programa comece a valer em novembro, o cadastro pela internet e em postos autorizados terá início no dia 15 de abril e seguirá até o dia 31 de outubro. “Ainda não sabemos em que dia exato o bilhete começará a valer”, completou o secretário de Transportes, Jilmar Tatto.

O primeiro cartão será grátis, mas a segunda via custará o valor de sete tarifas para o passageiro comum e dez para estudantes. Quem mora fora da cidade também poderá se cadastrar. “São Paulo recebe a todos. É só se cadastrar que receberá o cartão em casa, pelo correio”, explicou o secretário.

Para evitar fraudes, o bilhete exigirá foto do usuário e terá um chip que monitora o comportamento do passageiro. “O uso de biometria não está descartado para o futuro”, afirmou Tatto.

Metrô

Haddad confirmou a negociação com o governo do Estado para a integrar o bilhete mensal ao Metrô. “O assunto está na mesa de negociação, prosperando”, disse ele. “Mas ainda depende de decisões técnicas e políticas que não cabem a mim.”

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas