Mizael é um psicopata que não aceita rejeição, diz acusador

Durante julgamento, advogado leu alguns trechos de e-mails trocados por Mizael e Mércia dias antes do crime. Advogado quis mostrar como funciona a "cabecinha" do réu

Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo | - Atualizada às

Depois de o promotor Rodrigo Merli Antunes defender em plenário a condenação do advogado Mizael Bispo de Souza pela morte da ex-namorada Mércia Nakashima em maio de 2010, o assistente de acusação, Alexandre de Sá Domingues, tomou a palavra para comentar a relação do réu com a vítima. A expectativa é que o julgamento do caso Mércia Nakashima seja concluído nesta quinta-feira (14).

Julgamento:
“Não existe coincidência”, diz promotor sobre indícios que incriminam Mizael

Enquanto o promotor cuidou das provas do processo, Domingues apontou 19 “mentiras” ditas por Mizael e, com fotos de Mércia e da família sendo projetadas na parede, ele leu um e-mail enviado pelo réu à Mércia com suas razões para sentir-se magoado com ela.

“Ele não aceita rejeição”, afirmou Domingues. “Estou mostrando como funciona a cabecinha dele, o que o fez matar Mércia Nakashima. Na cabeça dele havia uma causa.”

3º dia de julgamento:
Sapato comprova que Mizael esteve em uma represa, diz perito durante júri
Julgamento do caso Mércia "é uma farsa", diz advogado do réu

O advogado leu alguns trechos de um e-mail enviado por Mizael à Mércia no dia 17 de abril. Nele, o acusado mostra-se magado porque a vítima terminou o namoro com ele pela primeira vez em 2008, antes da apuração dos votos que revelaram sua derrota em sua candidatura para vereador de Guarulhos. “Na cabeça dele existe uma lógica”, avaliou o advogado. “Em sua mente doentia, ele tenta encaixar-se na verdade que ele mesmo criou.”

Entre as “19 mentiras” ditas pelo acusado, Domingues lançou nova acusação para as brigas entre os dois por honorários advocatícios negadas por Mizael. “No dia 13 de maio, ele efetuou depósitos de 90 mil que ele implica. Será que foi por isso que ele matou Mércia?”

2º dia: Acusação ironiza testemunhas de defesa de Mizael: "Colaborou muito conosco"
1º dia : 'Defesa de Mizael adotou a tática de confundir os jurados', afirma acusação

“Essa é uma psicopatia, um problema que ele tem na cabeça. Ele nunca vai admitr. Ele prefere ser taxado por meia dúzia de amigos de que é um injustiçado a agir como homem”, concluiu.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG