Sorocaba, em São Paulo fica sem coleta de lixo e decreta estado de emergência

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Coletores encerraram greve nesta sexta, mas ainda há risco de nova paralisação

Agência Estado

A paralisação no serviço de coleta de lixo levou o prefeito de Sorocaba (SP), Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), a decretar estado de emergência na cidade na noite de quinta-feira (7). Mais de 50% dos 593.775 habitantes estavam sem coleta em razão de uma greve dos funcionários da empresa responsável pelo serviço.

Segundo o prefeito, o decreto de emergência levou em conta o risco de uma epidemia de dengue, pois o lixo acumulado é potencial criadouro do mosquito transmissor da doença. Nesta sexta-feira, os coletores voltaram a trabalhar, mas havia risco de nova paralisação no serviço.

De acordo com o sindicato da categoria, os coletores cruzaram os braços devido a um atraso no pagamento dos salários. O secretário de Parcerias, Clébson Ribeiro, informou que a prefeitura chegou a adiantar pagamentos previstos em contrato para evitar a paralisação no serviço.

O município exigiu que a Gomes Lourenço comprovasse o pagamento dos encargos e dos fornecedores, o que não havia ocorrido até o início da tarde desta sexta. A empresa informou que estava empenhada em solucionar o problema. Com a emergência, a prefeitura pode fazer um contrato emergencial com outra empresa. No final do ano passado, a Gomes Lourenço enfrentou greves em Jundiaí e Várzea Paulista - nesta cidade, a população amontoou o lixo não coletado em frente da prefeitura.

Leia tudo sobre: sorocabalixogreve de lixeiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas