Prefeito apresenta candidatura de São Paulo para sediar Expo 2020

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cidade concorre com Ekaterimburgo (Rússia), Izmir (Turquia), Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Ayutthaya (Tailândia) para receber a feira internacional

Agência Brasil

Futura Press
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, durante apresentação da Expo 2020

O prefeito Fernando Haddad lançou nesta terça-feira (5) a candidatura da cidade de São Paulo para sediar a Expo 2020. O evento internacional, que ocorre a cada cinco anos e reúne diversos países, tem como proposta estimular a criação de projetos de inovação, políticas sociais e econômicas, programas de combate às mudanças climáticas, políticas ambientais, novos sistemas de produção e distribuição de energia.

Leia também: Veja o projeto de São Paulo para a Expo 2020

O Brasil concorre com Ekaterimburgo (Rússia), Izmir (Turquia), Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Ayutthaya (Tailândia) para sediar a Expo. A eleição será em novembro em Paris e o evento ocorre entre 15 de maio e 15 de novembro de 2020. A última Expo foi feita em Xangai e a próxima será em Milão, em 2015.

Segundo Haddad, apesar de todas as candidatas terem argumentos para defenderem sua vitória, São Paulo oferece diversas vantagens que serão apresentadas à missão que chega à cidade na próxima semana. “As vantagens começam com o público certo à visitação. Estamos em uma região metropolitana com 21 milhões de habitantes. Se considerarmos Santos e Campinas, que estão muito próximas, esse número chega a 15 milhões. É uma cidade habituada a receber grandes eventos. Não é uma novidade para São Paulo”, disse o prefeito.

Haddad reforçou que o projeto da Expo combina com o plano de desenvolvimento estratégico da cidade de São Paulo, além da existência do alinhamento das três esferas de governo para viabilizar tudo o que for necessário para o evento. “A iniciativa privada também está apoiando o empreendimento porque vê uma oportunidade grande de negócios e a sociedade também começa a se envolver”.

O prefeito disse que a candidatura de São Paulo começa a se constituir como latina americana e não apenas brasileira. “Queremos envolver os outros países da América Latina em torno desse projeto”.

Mesmo que a cidade brasileira não seja escolhida como sede para a Expo 2020, o prefeito não considera que seja uma perda total, pois os investimentos em Pirituba, bairro da zona oeste onde o complexo para o evento deve ser construído, não serão interrompidos. “Os investimentos em Pirituba vão continuar porque o bairro é uma frente de expansão importante para São Paulo. Teremos um instituto federal com cursos técnicos e superiores de tecnologia, o governo do Estado está prevendo a licitação da Linha 6 [do metrô] que vai chegar à Vila Brasilândia. Há coisas acontecendo independentes da Expo”. Haddad defende que o centro de convenções deve ser construído mesmo que a cidade não seja eleita, permitindo que a cidade continue recebendo eventos importantes.

Leia tudo sobre: expo 2020são pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas