Assalto a joalheria provoca pânico em shopping da zona sul de São Paulo

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Homens armados invadiram a loja Desiree e efetuaram ao menos três disparos para o alto. Segundo a Polícia Militar, esse é o quarto assalto no Plaza Sul desde 2010

Agência Estado

Quatro homens armados invadiram, no fim da tarde de domingo (24) a joalheria Desiree, no Shopping Plaza Sul, na zona sul da capital. Na fuga, os bandidos efetuaram ao menos três tiros para o alto. Os disparos deixaram marcas no teto e provocaram pânico entre os clientes. Muita gente procurou abrigo em lojas vizinhas, que fecharam as portas por medo do tiroteio. Ninguém ficou ferido, segundo a administradora do centro de compras.

Mais: Polícia Militar prende dois após assalto a joalheria no Morumbi Shopping 

O alvo da quadrilha foi o cofre da loja de joias. O valor levado, entretanto, não foi divulgado pelo shopping. Até o fim da noite, a Polícia Militar também não havia prendido nenhum suspeito. O crime ocorreu por volta das 18h, quando o shopping estava cheio. Funcionários de uma loja que fica em frente à joalheria relataram que os criminosos começaram a atirar para assustar os consumidores e facilitar a fuga. A loja fica no segundo andar.

Marcos Bezerra/Futura Press
Assaltantes deixaram shopping antes da chegada da polícia. Grupo atirou para o alto três vezes

Ainda segundo testemunhas, os bandidos seguiram em direção a uma loja de departamentos que tem escadas internas e fica a cerca de 200 metros da joalheria. De lá, o quarteto fugiu por uma saída de emergência. Mas empregados da loja apontada por testemunhas negaram que os ladrões tenham fugido por lá.

Lojas fechadas

Logo depois do assalto, lojistas de todo o shopping anteciparam o fechamento das lojas. Alguns dos estabelecimentos baixam as portas às 20h aos domingos, mas no domingo (24) quase nenhum estava aberto pouco antes desse horário.

A advogada Patricia Pereira Norbeato, de 43 anos, tinha ido ao local com três filhos e dois amigos. Eles se preparavam para comer em um restaurante ao lado da praça de alimentação quando ouviram a gritaria causada pelo tiroteio. "Só lembro de correr para a escada de emergência com meus filhos menores. Esqueci o celular na mesa e perdi meu outro filho e os amigos."

Ela desceu três andares e foi parar no posto de emergência do shopping, onde viu uma mulher grávida tendo de receber atendimento médico. "Fiquei desesperada, sem saber como estava meu filho. Meu menino menor ficou chocado e agora não pode nem ouvir falar em shopping."

Seu filho mais velho, o estudante J.C.N., de 15 anos, se escondeu atrás do balcão do restaurante. "Muita gente gritava: ‘Tiro! Tiro!’" Nem os seguranças do shopping nem funcionários da loja assaltada quiseram falar do roubo.

Investigação

O caso foi registrado no 16.º DP (Vila Clementino), mas a investigação será conduzida pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), responsável por apurar assaltos em joalherias. Esse é pelo menos o quarto assalto no Plaza Sul desde 2010 - e o terceiro a uma loja de joias.

Em 23 de dezembro de 2010, um homem disfarçado de cliente assaltou a loja de roupas Conexão. Cinco dias antes, o alvo havia sido a joalheria Casa Tokyo. No início de novembro do mesmo ano, a joalheria Vivara, que fica a 50 metros da Casa Tokyo, foi assaltada por uma dupla no mesmo horário, no momento da troca de turno da segurança do centro de compras. Na ocasião, foram levados joias e relógios. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Leia tudo sobre: assaltoshopping plaza suljoalheriafugapolícia militarigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas