Jurados se reúnem para decidir culpa ou inocência de Gil Rugai

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Conselho de Sentença foi levado para uma sala secreta na Fórum da Barra Funda, em São Paulo, onde responde a oito perguntas feitas pelo juiz sobre a culpabilidade do réu

Após cinco dias de julgamento, divididos entre depoimentos e falas polêmicas dos defensores e da promotoria, os jurados foram levados para uma sala secreta, por volta das 16h10, para decidir se Gil Rugai é culpado ou inocente. O ex-seminarista responde pelo duplo homicídio do pai Luiz Carlos Rugai e da madrasta Alessandra de Fátima Triotino, em março de 2004. Em interrogatório, Rugai negou a autoria do crime

Ao ser concluído o período de debates entre acusação e defesa, o juiz deu intervalo para almoço. Na volta, a promotoria poderia fazer o uso da 'réplica', mas encerrou o período de argumentação. Com isso, o Conselho de Sentença, que é composto pelos sete jurados, foi levado pelo magistrado para uma sala secreta. Equipes de acusação e defesa acompanham a votação.

Os debates:
Construíram um psicopata com base em uma investigação mais ou menos, diz defesa
Rugai disse que seria mais feliz se o pai morresse, relata promotor aos jurados 

Na sala, cada jurado responde a oito perguntas (quatro sobre cada vítima) preparadas pelo juiz Adilson Paukoski Simoni. Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça, eles receberam oito cédulas para decidir o futuro do réu com respostas entre “sim” ou “não”. Com a decisão dos jurados em mãos, o magistrado irá redigir a sentença que irá definir a pena dos réu em caso de condenação.

Leia na íntegra os quesitos que serão respondidos pelos jurados:

Vítima Luiz Carlos Rugai

"Cédula 1

No dia 28 de março de 2004, por volta das 21h30, no interior da residência situada na rua Atibaia, número 383, imóvel que faz fundos para a rua Traipu, bairro de Perdizes, nesta Comarca, a vítima Luiz Carlos Rugai sofreu disparos de arma de fogo, que lhe produziram os ferimentos descrito no laudo de exame de corpo de delito fls. (folhas) 298/302, que provocaram a sua morte?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos SIM

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos SIM"

"Cédula 2

O acusado Gil Grego Rugai, acompanhado de terceira pessoa desconhecida, desferiu disparos de arma de fogo contra a vítima Luiz Carlos Rugai, provocando-lhe os ferimentos aludidos no item anterior?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos SIM

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos NÃO"

"Cédula 3

O jurado absolve o acusado?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos NÃO

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos SIM"

"Cédula 4

O crime foi cometido por motivo torpe, em razão de o réu ter sido afastado da participação dos negócios da vítima, não se conformando com tal situação?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos SIM

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos NÃO"

--

Vítima Alessandra de Fátima Triotino

"Cédula 1

No dia 28 de março de 2004, por volta das 21h30, no interior da residência situada na rua Atibaia, número 383, imóvel que faz fundos para a rua Traipu, bairro de Perdizes, nesta Comarca, a vítima Alessandra de Fátima Triotino sofreu disparos de arma de fogo, que lhe produziram os ferimentos descrito no laudo de exame de corpo de delito fls. (folhas) 290/295, que provocaram a sua morte?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos SIM

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos SIM"

"Cédula 2

O acusado Gil Grego Rugai, acompanhado de terceira pessoa desconhecida, desferiu disparos de arma de fogo contra a vítima Alessandra de Fátima Triotino, provocando-lhe os ferimentos aludidos no item anterior?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos SIM

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos NÃO"

"Cédula 3

O jurado absolve o acusado?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos NÃO

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos SIM"

"Cédula 4

O crime foi cometido por motivo torpe, em razão de o réu ter sido afastado da participação dos negócios da vítima, não se conformando com tal situação?

A acusação espera dos senhores jurados o voto dos pontos SIM

A defesa espero dos senhores jurados o voto dos pontos NÃO"

Leia tudo sobre: gil rugaijulgamentoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas