Preso em Sorocaba pode ter sido morto por ordem de facção criminosa

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Detento que assumiu a autoria do crime diz que vítima havia enviado cartas à sua esposa. No entanto, investigações indicam que Santos estava em dívida com líderes do TCC

Agência Estado

O preso Dino César dos Santos, de 36 anos, foi morto a facadas na Penitenciária Danilo Pinheiro (P-1), no final da tarde de terça-feira (19), em Sorocaba, interior paulista. Ele foi atingido durante o banho de sol. Outro detento Edson Rodrigues Albano, de 25 anos, condenado por roubo, assumiu, sozinho, a autoria do crime.

Mais: Parte da carga de tablets roubada em assalto é encontrada em São Paulo

De acordo com a Polícia Civil, o assassinato pode estar ligado às disputas internas da facção Terceiro Comando da Capital (TCC) que controla a penitenciária. A facção foi criada há 12 anos por dissidentes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Os dois grupos se tornaram inimigos.

No momento do crime havia cerca de 600 presos no pátio, que, segundo informações da penitenciária, formaram uma roda em torno do agressor e da vítima, impedindo que os agentes vissem o que se passava. Os homens foram recolhidos às celas e os agentes apreenderam duas facas artesanais usadas no crime.

Edson Albano alegou ter atingido a vítima porque ela teria enviado cartas à sua esposa. As primeiras investigações indicam que Santos estava em dívida com líderes da facção e por isso teria sido executado. O presídio tem capacidade para abrigar 350 detentos, mas atualmente tem 1.010.

Leia tudo sobre: morte em presídiodetentosorocaba

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas