SP faz operação contra consumo de álcool por menores de idade no carnaval

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Vigilância Sanitária e Procon fiscalizarão venda de bebidas alcoólicas em casas noturnas e bares nas regiões de blocos e trios elétricos; ação começa hoje e segue até terça (12)

Agência Brasil

Agentes da Vigilância Sanitária estadual e municipal de São Paulo e da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) fiscalizarão a venda de bebidas alcoólicas para menores de idade em bailes, casas noturnas, bares e outros estabelecimentos e em ruas por onde passam blocos, cordões e trios elétricos carnavalescos. A operação será feita a partir desta sexta até a próxima terça-feira (12).

No Rio: 'Agentes secretos' vigiarão foliões no Metrô para evitar atos de vandalismo
Mais: Feriado de carnaval deve ter clima de verão na maior parte do Brasil

Os agentes também irão inspecionar o Sambódromo do Anhembi, quiosques de praia e estabelecimentos de cidades do litorais sul e norte de São Paulo. “Estudos apontam que, quanto mais cedo os jovens começam a beber, maiores são as chances de desenvolverem dependência química no futuro.

Por isso, os nossos esforços são para evitar o consumo precoce e nocivo de bebidas alcoólicas por adolescentes neste período de carnaval”, disse a diretora do Centro de Vigilância Sanitária Estadual, Maria Cristina Megid.

Mais do feriado:
Polícia rodoviária reforça fiscalização nas estradas federais durante o carnaval

Abre e fecha:
Veja o que funciona no feriado de carnaval
Veja o que abre e fecha no carnaval em Porto Alegre
Veja o que abre e fecha em São Paulo no carnaval
Confira o que abre e fecha no feriadão de carnaval no Rio
Veja o que abre e fecha no carnaval em Belo Horizonte

A lei antiálcool estadual, em vigor desde novembro de 2011, proíbe que bares, restaurantes, lojas de conveniência, entre outros, vendam, ofereçam e permitam a presença de menores de idade consumindo bebidas alcoólicas no interior dos estabelecimentos, mesmo que acompanhados de seus pais ou responsáveis.

Os estabelecimentos infratores estão sujeitos à multa até R$ 96,8 mil, a interdições e até a perda da inscrição no cadastro de empresas do Estado.

Leia tudo sobre: carnavaligspoperaçãomenores de idade

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas