Em interrogatório, Elize Matsunaga só responde as perguntas de juiz e chora

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Além da ré, também foi interrogada nesta quarta-feira Nathália Vila Real Lima, que seria a amante da vítima. As duas teriam chorado durante os depoimentos

O juiz Adilson Paukoski Simoni, do 5º Tribunal do Júri da Capital, presidiu nesta quarta-feira (30), mais uma audiência de instrução do processo que apura a morte do empresário Marcos Matsunaga, morto e esquartejado em maio do ano passado. Foram interrogadas a ré, Elize Araújo Kitano Matsunaga, acusada de ter cometido o crime, e Nathália Vila Real Lima, que seria a amante da vítima.

Leia também:
Defesa de Elize pede a exumação do corpo do executivo Marcos Matsunaga
Relembre: Mulher confessa ter matado e esquartejado executivo da Yoki

Tércio Teixeira/Futura Press
Nathalia Lima, suposta amante de Marcos Matsunaga chega ao Fórum da Barra Funda, em São Paulo

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, Elize respondeu apenas às perguntas feitas pelo juiz e chorou em alguns momentos. Ela optou por não responder às perguntas formuladas pela promotoria de Justiça e pela assistência de acusação. 

Já o depoimento de Nathalia Vila Real Lima foi marcado pela exposição de uma foto sua em um site de acompanhantes. A imagem gerou divergência entre os advogados. O advogado que representa Nathalia sustenta que ela é modelo, e não prostituta. A foto foi exibida pela defesa de Elize, que quer mostrar que a amante é uma garota de programa. O site onde a foto de Nathalia está exibida é o mesmo onde Marcos conheceu Elize.

Nathalia disse em um primeiro depoimento à polícia que era acompanhante de executivos e que conheceu Marcos na internet. Ela mudou a declaração depois afirmando que tinha um romance com o executivo.

A pressão feita pelos advogados de Elize fez com que Nathalia também chorasse durante a audiência. De acordo com seu advogado, ela disse que estava como Marcos no dia anterior ao crime e negou ter sido presenteada por ele com um carro. A amante contou que conheceu o empresário em 2011, em um evento de negócios. 

Leia outras notícias do caso:
‘Tudo indica ser crime passional’, diz delegado que investiga esquartejamento
Investigação pode ter fato novo, diz advogado da família de empresário esquartejado
"Todos estão chocados”, diz advogado da família de executivo esquartejado em SP
Mulher é presa acusada de esquartejar corpo de executivo da Yoki
Veja fotos do enterro do executivo em São Paulo

Após os depoimentos desta quarta-feira, aguarda-se a realização de perícia através da exumação do corpo da vítima – pleiteada pela defesa – e consequente apresentação de laudo pericial e pareceres técnicos para que o juiz profira a sentença que pode – ou não – levá-la a júri popular.

* Com informações de O Dia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas