Após reintegração de posse, grupo sem-teto acampa na Prefeitura de Campinas

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Sem-teto afirmam não ter onde morar e decidiram não aceitar a proposta feita pela Prefeitura de Campinas de irem para um abrigo para moradores de ruas

Agência Estado

Agência Estado

Um grupo de sem-teto acampou nesta quinta-feira no prédio da Prefeitura de Campinas (SP) após serem despejados da área onde viviam, desde outubro do ano passado, às margens do Anel Viário Magalhães Teixeira. A Polícia Militar (PM) cumpriu pela manhã mandato de reintegração de posse do terreno que era ocupado por 42 duas famílias. Cerca de 130 policiais participaram da desocupação, que foi pacífica.

Desocupação: Polícia Militar faz reintegração de posse em terreno de Campinas

Denny Cesare/Futura Press
Famílias observam barracos e casas sendo destruídos pela PM no terreno invadido; ação foi pacífica

Os sem-teto afirmam não ter onde morar e decidiram não aceitar a proposta feita pela Prefeitura de Campinas de irem para um abrigo para moradores de ruas. "Não aceitamos ir para um abrigo de viciados e moradores de rua. Somos famílias com crianças. Vamos até a prefeitura e vamos acampar por lá e ficar até que o prefeito Jonas Donizette dê uma solução para o problema", afirmou Lucas Hernani, de 33 anos, um dos coordenadores do Residencial Nova Aliança - nome dado à invasão.

O terreno, às margens do anel viário, que liga as rodovias Anhanguera e D. Pedro I, é particular. A Justiça determinou em novembro do ano passado que os invasores fossem retirados do local. Com ajuda do helicóptero Águia, oficiais da cavalaria e do canil, os policiais ocuparam o terreno por volta das 9 horas. Os barracos começaram a ser derrubados com a ajuda de um trator

Alguns integrantes da invasão atearam fogo em barracos. Na terça-feira (15), os sem-teto fizeram um protesto contra a reintegração de posse. Eles fecharam os dois sentidos do anel viário com uma barricada de pneus e atearam fogo. Para evitar que a pista fosse novamente ocupada, um cordão de isolamento com policiais foi montado pela PM às margens da rodovia. A Concessionária Rota das Bandeiras, que administra a estrada, registrou lentidão de três quilômetros no trecho por causa do fechamento de uma das pistas, mas sem congestionamento.

Leia tudo sobre: sem-tetoreintegraçãoocupaçãopolícia militarcampinas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas