Chuva causa danos e deixa cidades da região de Campinas em estado de atenção

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Municípios de Piracicaba, Capivari, Águas de Lindoia, Amparo, Itapira, Lindoia, Serra Negra, Socorro e Valinhos sofreram danos com as chuvas deste início de ano

Agência Estado

Agência Estado

As chuvas deste final de semana alagaram bairros e colocaram pelo menos sete cidades da região de Campinas (SP) em estado de atenção. Em Capivari, quatro bairros foram alagados no domingo (13), com o aumento do volume do Rio Capivari dos 80 centímetros para 2,70 metros. Parte da Santa Casa foi interditada. No Circuito das Águas, a maioria das cidades está em atenção, após o grande volume de chuvas. Em Piracicaba, o rio também está cheio e próximo do limite.

Leia também:
Capital paulista também entrou em estado de atenção nesta segunda-feira
Enchente deixa 240 pessoas desabrigadas em São Luiz do Paraitinga 

Em Capivari, a Defesa Civil registrou entre domingo e esta segunda-feira (14) 15 famílias desalojadas (que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares) e três desabrigadas (pessoas que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos) pela alta do rio, que corta a cidade. No ginásio municipal, 26 pessoas estão abrigadas por causa da enchente.

Nesta segunda, parou de chover pela manhã, mas a previsão é de novos temporais até quinta-feira (17). Parte da Santa Casa teve de ser interditada nesta segunda. A Defesa Civil informou que as paredes da sala onde fica o raio-X e uma ala da maternidade estão com rachaduras. O pedreiro Antonio Ribeiro, de 32 anos, decidiu não abandonar sua casa e passou a madrugada desta segunda em vigília. "Os móveis nós colocamos o que deu para cima e se o rio subir mais saímos correndo", conta ele, da porta de sua casa, com a água do rio no portão.

O diretor da Defesa Civil, Ricardo Souza, afirmou que a previsão é que o rio deve voltar a subir por causa das chuvas que devem atingir as cidades na região de Campinas. "Estamos em alerta total para os riscos de desabamentos. É uma faculdade das pessoas deixar os imóveis, mas estamos orientando para que eles saiam por causa dos riscos e das doenças", afirmou Souza. Cerca de 100 famílias não deixaram suas casas, apesar do alagamento.

Outras cidades
Entraram em estado de atenção também depois das chuvas do final de semana Águas de Lindóia, Amparo, Itapira, Lindóia, Serra Negra, Socorro e Valinhos. O diretor da Defesa Civil Regional, Sidnei Furtado, informou que o volume acumulado de chuva nas últimas 72 horas é alto e pode provocar deslizamentos.

Em Itapira, três bairros ficaram alagados pelo maior volume de chuvas registrado nas cidades desde que começou a ser feita a medição. O nível do Ribeirão da Penha começou a diminuir na manhã desta segunda, mas ainda estava acima do normal.

Outras 24 cidades da região estão em estado de observação: Americana, Artur Nogueira, Atibaia, Bragança Paulista, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Limeira, Monte Mor, Nazaré Paulista, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Piracaia, Rio Claro, Santa Bárbara d'Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré e Vinhedo.

Rio Piracicaba
Em Piracicaba, o nível do rio chegou a 4,2 metros e a Defesa Civil está alerta para riscos de transbordamentos e alagamentos de áreas ribeirinhas. Segundo o órgão, o Rio Piracicaba baixou para 3,8 metros. Pela classificação, ele começa a trazer problemas de alagamento quando ultrapassa o nível de 4,2 metros. O Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) informou que o nível médio do Rio Piracicaba entre 2001 a 2012 foi de 2,86 metros para o mês de janeiro.

Leia tudo sobre: estado de atençãochuvasenchentesalagamentos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas