Incêndio atinge depósito na zona leste de São Paulo

Por Agência Estado | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Prédio dos Armarinhos Fernando foi atingido pelas chamas por três horas no bairro da Mooca. Prédio ao lado chegou a ser evacuado para preservar moradores da fumaça

Agência Estado

Um incêndio de grandes proporções atingiu, na manhã desta segunda-feira (07), um depósito dos Armarinhos Fernando na esquina das ruas Taquari e dos Trilhos, na Mooca, zona leste da capital paulista. O fogo, cuja fumaça podia ser vista de diversas regiões da cidade, começou com um curto-circuito entre as 10h30 e as 11h. Um prédio residencial vizinho, de 28 andares, teve de ser esvaziado.

Acompanhe o trânsito em São Paulo

Ale Cabral/ Futura Press
Bombeiros levaram três horas para controlar as chamas no depósito, no bairro da Mooca

Várias ruas no entorno, como a rua Taquari e o viaduto Bresser, foram interditados para facilitar o trabalho dos bombeiros. Por causa da interdição o trânsito na região ficou complicado. As chamas só foram contidas por volta das 13h10. As 26 viaturas do Corpo de Bombeiros e os 67 homens que trabalharam para apagar o incêndio seguem no local para eliminar pequenos focos em áreas de difícil acesso. Não há registro de feridos.

As chamas se propagaram rapidamente devido ao depósito conter materiais de fácil combustão, como plástico e papelão. Parte de uma estrutura metálica do depósito veio abaixo, dificultando o trabalho do Corpo de Bombeiros. Aproximadamente 1,6 mil metro quadrado da área, de um total de 6 mil metros quadrados, foi destruído. Uma loja dos Armarinhos Fernando que se comunica com o galpão e fica no mesmo terreno também teve cerca de 100 metros quadrados queimados, na parte dos fundos.

O Corpo de Bombeiros informou que tanto a loja quanto o depósito estavam funcionando no momento em que o fogo começou. Funcionários que não quiseram se identificar relataram terem tido dificuldade para deixar o local devido à falta de alarmes sonoros e de saídas de emergência. Diante dessas informações, o Corpo de Bombeiros informou que irá avaliar se o imóvel está dentro das normas de segurança.

O Edifício Verona, com 28 andares e 112 apartamentos, próximo ao local, também foi esvaziado por estar recebendo grande quantidade de fumaça vinda do galpão. O objetivo foi o de evitar a intoxicação dos moradores. Às 14h45, cerca de 30 condôminos ainda aguardavam na rua a liberação para retornar à unidade. De acordo com o capitão Arthur Bicudo, não há riscos para a estrutura do imóvel, que foi resfriado com água por precaução. "A evacuação é temporária e todos vão poder voltar para suas casas ainda hoje", disse.

A aposentada Sônia Regina Lopes, de 62 anos, moradora do 13º andar do prédio que precisou ser esvaziado, conta que se assustou com a dimensão das chamas. "Nunca vi um negócio desses. A labareda estava muito alta e eu desci no apartamento da minha mãe com meus dois cachorros. Depois a energia caiu e tive de descer de escada até a rua".

Os moradores disseram que ouviram o estrondo de um poste, momento em que parte da energia caiu. A outra parte foi desligada pela AES Eletropaulo por motivo de segurança. Até as 14h40, o edifício ainda estava sem luz, água e com os telefones mudos. Técnicos da Defesa Civil Municipal e da Subprefeitura da Mooca também compareceram ao local, acompanhados do subprefeito Francisco Ricardo.

Leia tudo sobre: incêndiodepósito

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas