Alckmin sanciona novo plano de carreira para médicos

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

De acordo com lei estadual, médicos receberão até R$ 14,7 mil; remuneraçõesde médicos com rendimento extra pela atividade docente podem atingir R$ 18,5 mil

Agência Estado

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sancionou nesta quarta-feira (2) a lei estadual do novo plano de carreira para médicos do Estado, cuja remuneração irá variar de acordo com o número de horas semanais trabalhadas e ainda conforme a capacitação dos profissionais para o desempenho das atividades. Além disso, foi criada a categoria de 40 horas semanais de trabalho para, segundo a Secretaria de Saúde, fixar os médicos nas unidades de atendimento.

A nova lei estabelece três classes de médicos: os médicos da classe I irão receber até R$ 13,9 mil por jornada de 40 horas semanais, R$ 7,2 mil para 24 horas, R$ 6 mil e R$ 3,6 mil para jornada reduzida de 12 horas semanais. Os classe II receberão, pelo teto da produtividade, até R$ 14,3 mil por jornada de 40 horas semanais, R$ 7,3 mil para 24 horas semanais, R$ 6,1 mil para 20 horas e R$ 3,7 mil por jornada reduzida de 12 horas semanais.

Já os médicos enquadrados na classe III receberão até R$ 14,7 mil de teto para as 40 horas, até R$ 7,5 mil por jornada de 24 horas semanais, R$ 6,3 mil por 20 horas semanais e R$ 3,8 mil por jornada reduzida de 12 horas semanais. Os médicos da rede estadual poderão receber ainda o rendimento extra pela atividade docente e suas remunerações podem atingir R$ 18,5 mil por mês.

Leia tudo sobre: medicossaúdeplano de carreira

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas