Sem coleta, moradores de Várzea Paulista despejam lixo na prefeitura

Com lixo acumulado durante uma semana, segundo moradores, sacos foram levados por diversos moradores até a prefeitura. Três caminhões foram usados para remover o lixo

Agência Estado |

Agência Estado

Em protesto contra a falta de coleta na cidade, moradores despejaram toneladas de sacos de lixo na frente do prédio da prefeitura de Várzea Paulista, a 54 km de São Paulo, na noite de terça-feira (25). Eles reclamaram que havia uma semana o lixo não era recolhido da frente das casas em razão de uma greve dos coletores. Muitos sacos apresentavam mau cheiro. Os moradores chegaram a pé, de carro, moto, bicicleta e até de caminhão para depositar o lixo na entrada do prédio, que ficou totalmente bloqueado pela montanha de entulho.

Leia também:  Serviços como esgoto, coleta de lixo e iluminação evoluem pouco e são desafio

O estudante Cleyton Garcia passava pelo local de carro e viu o movimento dos moradores. "Jogaram sacolas de lixo em frente à prefeitura, o mesmo lixo que deixou de ser recolhido. Já faz mais de uma semana que a cidade está sem coleta, deixando ruas e casas abarrotadas de sacos de lixo, causando mau cheiro, atraindo ratos, desagradando a população às vésperas, durante e após o Natal", postou numa rede social. A estudante Célia Andrade contou que o movimento começou com alguns moradores e logo foi engrossando. "Quem passava e via, corria até em casa e voltava com o lixo. Em pleno Natal, a revolta era grande."

Na manhã desta quarta-feira, a prefeitura usou funcionários próprios com tratores e pás-carregadeiras para remover o lixo. O material, que encheu três caminhões, foi levado para um aterro sanitário. Após o protesto, a prefeitura informou ter montado um esquema de emergência para a retirada do lixo de frente das casas. Em nota, informou que a paralisação começou apenas na sexta-feira, véspera do feriado prolongado do Natal, o que dificultou a adoção de medidas alternativas. "Hoje (ontem), com o expediente retomado, o governo municipal está organizando um sistema de recolhimento com pessoal e equipamentos próprios."

A empresa Gomes Lourenço, responsável pela coleta, informou que está solucionando a questão salarial com os funcionários para normalizar a coleta "o mais breve possível". Em assembleia, os funcionários decidiram manter a paralisação. De acordo com o presidente do sindicato, Roberto Leme, a empresa pagou apenas uma parte dos salários atrasados. Uma reunião estava agendada para a noite na tentativa de uma solução para o impasse.

    Leia tudo sobre: várzea paulistaprefeituracoleta de lixo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG