"Se tem uma Corregedoria que age é a de São Paulo"

Governador Geraldo Alckmin rebate críticas da Anistia Internacional que, em relatório, diz que as autoridades paulistas falham no combate à criminalidade e são pouco punidas

Carolina Garcia - iG São Paulo | - Atualizada às

Marcos Bezerra/Futura Press
Alckmin empossou o novo comandante-geral da PM, coronel Benedito de Meira, e o novo delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Maurício Blazeck

O governador Geraldo Alckmin rebateu nesta terca-feira as críticas da Anistia Internacional, que disse que as autoridades paulistas falham no combate à criminalidade e são pouco punidas em São Paulo, durante a posse dos novos chefes das polícias Civil e Militar no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista.

Leia também:  São Paulo é negligente no combate à onda de violência, diz Anistia Internacional

Segundo Alckmin, entre o ano de 2000 e o agosto de 2012, mais de 5.700 agentes - 1.795 da Polícia Civil e 3.999 da Polícia Militar - foram demitidos ou expulsos das coorporações. "Se tem um Estado que tem uma Corregedoria que age e toma providências é São Paulo", disse o governador.

Ainda na mesma ocasião, Alckmin apresentou as próximas açõess de combate ao crime. Uma das medidas destacadas é o estabalecimento de um prazo para a perícia da Polícia Civil chegar ao local das ocorrências. Mesmo questionado pelos jornalistas sobre qual seria o prazo máximo, Alckmin não deu detalhes.

Para ele, São Paulo ganha uma nova equipe para trabalhar emergencialmente contra a criminalidade. "É sempre hora de avançar e esse trabalho é para ontem. Todos têm urgência". A partir de hoje, o Instituto de Criminalistica (IC) ganha um reforco de 80 profissionais, 33 médicos legistas e 47 peritos criminais.

Além disso, o governador mostrou-se otimista com a chegada de novos 187 delegados. Outros 137 entraram na academia e estarão prontos para trabalhar em 90 dias. A PM também contará com reforço de 960 agentes formados, que a partir de hoje estarão nas ruas da capital paulista.

Reunião

A primeira reunião de trabalho com os novos chefes e o governador ocorreu momentos antes da coletiva de imprensa, por volta das 16h. Os novos comandante-geral Benedito de Meira, da Polícia Militar, e o delegado-geral Luiz Mauricio Blazeck, da Polícia Civil, tiveram a primeira reunião de trabalho nesta terça-feira. Ainda segundo o governandor, o novo secretário de segurança Fernando Grella começará todas as manhãs de trabalhos com reuniões entre as autoridades.

"É uma força-tarefa que está sendo criada. Foram criadas novas equipes para retomar o trabalho fortalecendo a seguranca pública", disse Alckmin. Embora estivessem presentes na coletiva de imprensa, as novas autoridades não conversaram com os jornalistas.

    Leia tudo sobre: violênciasão paulopolíciaalckmin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG