Seis foram presos suspeitos de roubar, principalmente, relógios valiosos. Investigação indicou que eles são responsáveis pela morte de PMs e de um bancário italiano, em junho

Agência Estado

A Polícia Civil de São Paulo prendeu seis acusados de envolvimento em assassinatos de policiais militares e em assaltos violentos na região metropolitana de São Paulo. As detenções fazem parte da Operação Ponta de Lança, encerrada na manhã desta terça-feira (27) com agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). 

Italiano morto:  Família de italiano morto em assalto chega a São Paulo

Bancário italiano Tomasso Lotto foi assassinado em tentativa de assalto, em junho deste ano
Futura Press
Bancário italiano Tomasso Lotto foi assassinado em tentativa de assalto, em junho deste ano

Entre as acusações que o grupo irá responder, está a tentativa de assalto seguida de morte do bancário italiano Tommaso Vicenza Lotto , de 26 anos, em julho deste ano. Ao longo das investigações, a polícia constatou a participação de integrantes do grupo na morte de PMs, afirma o Deic.

Segundo o delegado Celso Marchiori, titular da 5ª Delegacia do Patrimônio, a operação é um desdobramento das prisões dos empresários Leandro Rafael Pereira da Silva, o Léo Gordo, de 28 anos, e Wellington Viana Alves, o Baré, de 32, que participaram de execuções de policiais militares.

A equipe de investigação procurava os mandantes de roubos violentos em vias públicas, cujo objetivo principal era levar relógios valiosos. No entanto, durante a apuração, a Polícia Civil constatou envolvimento dos investigados em outras atividades criminosas, como o assassinado de ao menos um policial militar.

Dos seis presos, dois estão envolvidos nos roubos e três na receptação, de acordo com o Deic. O sexto detido era responsável por produzir documentos falsos para a quadrilha.

Arma no capacete

De acordo com o delegado Marchiori, os acusados desenvolveram um compartimento secreto para guardar uma arma dentro do capacete de motociclista. O grupo atuava com pequenas armas nos assaltos e, depois de cometer o crime, o dispositivo era escondido dentro do capacete e passava despercebido em revistas policiais.

Ao longo da operação, os policiais apreenderam duas pistolas, dois capacetes e documentos falsos.

Morte de Tommaso

O bancário italiano Tommaso Vicenza Lotto, de 26 anos, foi morto em uma tentativa de assalto na noite de 21 de julho , na zona sul da capital paulista. Conforme a polícia, Lotto estava no País havia dois dias. Ele estava acompanhado de um amigo, também italiano, e trafegava em seu carro, um Honda Civic, na avenida Nove de Julho, quando foram abordados por dois suspeitos em uma moto. Durante a tentativa de assalto o turista foi baleado. Ele chegou a ser encaminhado para o Hospital São Luis, na avenida Santo Amaro, mas não resistiu aos ferimentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.