Em 14 horas, 13 pessoas são mortas durante ataques na capital e na Grande SP

Entre 19h30 de quinta-feira e 9h30 de hoje, a polícia registrou 23 vítimas baleadas e um ônibus incendiado. Em Santo André, no Grande ABC, saldo de ataques foi de cinco mortos

iG São Paulo |

Pelo menos 13 pessoas foram mortas e outras 11 foram feridas a tiros entre às 19h30 de ontem e às 9h30 de hoje em mais um dia de violência na cidade de São Paulo. Os crimes ocorreram em um intervalo de 14 horas. Na zona sul da cidade um ônibus também foi incendiado . Parte dos ataques foi registrada nos municípios de Santo André, no Grande ABC, e em Santana de Parnaíba, região oeste da Grande São Paulo.

Entre as vítimas, oito se encontravam em endereços muito próximos, em Santo André. Na região, o saldo dos ataques foi de cinco mortos. Os ataques teriam sido feitos por suspeitos em motos.

Leia mais: 

Ônibus biarticulado é queimado na zona sul de São Paulo

Promotores pedem isolamento de cúpula do PCC em prisões federais


Marcos Bezerra/Futura Press
Um dos ataques foi na rua Alfonso Albuquerque, na zona sul de SP; 11 pessoas morreram à noite

Outras seis pessoas também foram baleadas, cerca de uma hora depois, em um bairro próximo ao primeiro ataque, também em Santo André. Os suspeitos dos disparos, nas informações da polícia, também estariam em uma moto. Três das vítimas morreram no local. Uma quarta morreu no hospital.

Santana de Parnaíba

Em Santana de Parnaíba, três jovens foram baleados no início da madrugada desta sexta-feira, na rua Capricórnio, no Parque Santana. Segundo a Polícia Militar, as vitimas estavam em uma praça consumindo drogas e bebidas alcoólicas quando teriam sido alvejadas por dois suspeitos em uma moto. Dois morreram no local. O terceiro foi encaminhado para o hospital. O crime ocorreu a poucos metros do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), da Delegacia de Santana de Parnaíba.

Leia mais: Homicídios por impulso ou motivos fúteis chegam a 83% em São Paulo

Capital

Na zona sul da cidade de São Paulo, no Jardim São Luís, foram quatro ataques, entre as 23 horas e a meia-noite. Foram quatro mortes e duas pessoas feridas. Também na zona sul da cidade, por volta das 19h30, no bairro de Cidade Dutra, dois homens em uma moto atiraram contra um grupo de pessoas que estava em frente a um sacolão. Um homem morreu. Três pessoas que estavam em frente ao estabelecimento comercial ficaram feridas.

Marcos Bezerra/Futura Press
Ônibus ficou totalmente destruído pelas chamas na região do Grajaú, zona sul de São Paulo

Outros dois homens que estavam em uma moto foram baleados, durante a noite da quinta-feira (08), numa suposta troca de tiros com policiais militares das Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam). Segundo a PM, a dupla desobedeceu a ordem de parar e foi perseguida. Os dois ocupantes da moto, segundo a polícia, teriam atirado contra os policiais, mas acabaram baleados. Ambos foram internados no hospital.

Um adolescente também morreu após ser ferido em troca de tiros com a polícia na rua São João Marcos, no Jardim São Pedro. Segundo a PM, ele estava em uma moto roubada com um outro rapaz. Houve troca de tiros e os suspeitos foram atingidos e encaminhados para o hospital. Um deles morreu e o outro está em observação.

Assassinato próximo a pronto-socorro

Por volta das 9h30 de hoje (9) um rapaz foi assassinado próximo a um hospital da zona sul da capital paulista. O jovem de 25 anos, segundo a Polícia Militar (PM), foi baleado em uma rua perto do Pronto-Socorro Municipal Maria Antonieta Ferreira de Barros, no Jardim Somara, no bairro do Grajaú. 

De acordo com a Polícia Militar, as primeiras apurações indicam que a vítima estava na garupa de uma moto e foi baleada por outro homem também em uma moto. O segurança do pronto-socorro, que não quis se identificar, ajudou a socorrer a vítima que já estava sem vida quando foi atendida. “Ouvi um barulho que parecia uma bombinha e depois, quando vimos um homem pedindo socorro, confirmamos que eram disparos”, contou.

*com AE e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: ataquesnoite violentaexecuçõesgrande SP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG