Noite na Grande SP tem oito mortos e novos ataques contra policiais

No intervalo de 5h, foram registrados dois ataques contra PM e guardas municipais, três confrontos e três homicídios; crimes ocorreram na capital, Cotia, Santo André e Embu

iG São Paulo |

A região metropolitana de São Paulo registrou mais uma noite de violência, com oito pessoas mortas e três feridas a tiros, além de três suspeitos presos. Em um intervalo de 5 horas, entre as 19h30 desta quarta-feira (7) e o começo da madrugada desta quinta, foram registrados dois ataques - um a dois guardas civis e outro contra um policial militar -, três supostos confrontos entre suspeitos e a Polícia Militar e três homicídios, um zona leste da capital e dois na Grande São Paulo. 

Ontem:  Seis são mortos em noite violenta na Grande SP; delegado é baleado no ombro

Todos os casos serão investigados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Um ataque contra uma equipe da Guarda Civil de Cotia, na Grande São Paulo, deixou um saldo de dois bandidos mortos, outros dois presos e um guarda municipal ferido na noite de ontem.

Helio Torchi/Futura Press
Viatura teve os vidros destruídos durante tiroteio com os bandidos, em Cotia, Grande SP

Eram 22h quando quatro homens, armados com dois revólveres e uma metralhadora, em um Vectra preto roubado, abordaram uma viatura da Guarda Civil na altura do km 32 da pista marginal da rodovia Raposo Tavares, em frente ao hipermercado Extra, próximo ao centro da cidade. Um dos criminosos metralhou o veículo da corporação, ferindo um dos guardas na axila. O outro foi atingido no colete e saiu ileso.

Alckmin e Cardozo anunciam conjunto de ações para combate ao crime organizado

Minutos depois, com o reforço de viaturas, o Vectra foi localizado na favela do Morro dos Macacos, na Vila Clara, ainda em Cotia. No confronto entre os guardas e o grupo, dois dos bandidos foram baleados e morreram a caminho do Hospital Geral de Cotia. Os outros dois se entregaram e foram presos. Segundo a Polícia Civil de Cotia, até as 3h desta madrugada, nenhum dos integrantes da quadrilha havia sido identificado. O guarda civil baleado foi levado para o mesmo hospital e passa bem.

Santo André

Uma hora e meia depois, o soldado Humberto Gonçalves, da 2ª Companhia do 41º Batalhão, foi atacado e baleado no Jardim Las Vegas, em Santo André, próximo ao limite com São Bernardo do Campo, no ABC. À paisana, o policial militar saía da casa de um amigo, na avenida Taioca, quando foi surpreendido por um desconhecido, armado com um revólver calibre 38.

Saiba mais: PM já prendeu 36 na operação realizada na Favela de Paraisópolis

O criminoso, segundo a PM, estava escondido atrás de um orelhão e esperava pelo soldado. Gonçalves ainda tentou sacar a arma, mas foi baleado em uma das pernas e na barriga. Após ferir o policial, o atirador correu e subiu na garupa de uma moto, na qual havia um comparsa. Ambos fugiram. O soldado, segundo a PM, foi encaminhado para o Hospital Anchieta e passa bem. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Santo André.

Confrontos

Um bandido morreu após assaltar a loja de conveniência de um posto de combustível e trocar tiros com a PM na região dos Jardins, área nobre da zona sul da capital paulista, por volta da 0h30 desta quinta-feira. O criminoso, segundo a corporação, rendeu o funcionário da loja, instalada no posto Ipiranga localizado na esquina da rua da Consolação com a rua Estados Unidos, e roubou R$ 230,00 do caixa. Na fuga, foi surpreendido por policiais militares do 7º Batalhão.

Ao reagir, segundo os policiais, o assaltante foi baleado e morreu a caminho do Hospital das Clínicas. Um suspeito em uma moto, que estava parada próximo ao posto, foi visto por testemunhas deixando rapidamente o local segundos após o tiroteio. A polícia acredita que o desconhecido seja comparsa do assaltante morto. O caso foi registrado no 78º DP.

Leia mais sobre ataques à polícia em SP

Quatro horas antes, outro bandido morreu e um foi baleado durante um confronto com policiais militares da 1ª Companhia do 24º Batalhão após uma tentativa de roubo na noite de quarta-feira (7), em Diadema, no Grande ABC. Armada, a dupla foi flagrada pela PM quando tentava roubar um veículo na esquina da rua Rio Claro com a avenida Conceição, na Vila Ida. Segundo a Polícia Militar, um dos homens, ao trocar tiros com os policiais, foi baleado em um dos braços.

O outro correu e invadiu uma residência próxima. A casa foi cercada, resultando em um segundo tiroteio. Desta vez, o suspeito, após ser atingido pelos policiais, morreu no local. Já o comparsa dele foi levado para o pronto-socorro do Hospital Quarteirão da Saúde. A Polícia Civil de Diadema confirmou a morte de um dos suspeitos e o encaminhamento do outro para o pronto-socorro. Os dados do confronto foram informados ao plantão do 1º Distrito Policial de Diadema.

Praticamente no mesmo horário, um homem morreu e outro foi preso, após uma suposta troca de tiros com policiais militares da Força Tática do 35º Batalhão no Jardim Nova Itaquá, em Itaquaquecetuba, região leste da Grande São Paulo. A dupla, segundo a PM, estava em uma moto roubada, cujo dono, rendido na cidade de Suzano, vizinha, ligou para o 190. Em patrulhamento, os policiais avistaram o veículo e realizaram a abordagem. Um dos ocupantes da moto teria atirado contra os policiais, que revidaram. O suspeito foi atingido e morreu. O outro se entregou e, ileso, acabou preso. O caso foi registrado no DP Central de Itaquaquecetuba.

Homicídios

Um homem, identificado como Vitor Saraceno dos Santos, foi morto, com um tiro no rosto, por volta das 21h de ontem, em frente a um bar, na rua Doutor Fontes de Resende, na Vila Dalila, zona leste de São Paulo. A prima da vítima, segundo a polícia, ao sair para a rua viu Santos sentado em frente ao estabelecimento e conversando com um desconhecido. Ao retornar para dentro da casa, ouviu um tiro e saiu novamente.

Segundo a testemunha, o primo estava baleado e a pessoa com quem ele conversava havia sumido. Vitor morreu quando era atendido no pronto-socorro da Vila Nhocuné. Segundo a polícia, a vítima tinha antecedentes criminais e o local do homicídio seria um ponto de venda de drogas. O caso foi registrado no 10º Distrito Policial, da Penha.

Outros dois homicídios foram registrados pela polícia, desta vez na Grande São Paulo. Um deles em Embu das Artes, por volta das 22h, o outro em Itapevi, meia hora depois. Em ambos os casos, segundo a polícia, moradores escutaram vários tiros e ligaram para a PM. Ao chegarem nos dois endereços, os policiais encontraram as vítimas, ambas do sexo masculino, baleadas na cabeça e mortas.

O assassinato em Embu, segundo a PM, ocorreu na Rua Espacial, no Jardim Santa Tereza Velho. Em Itapevi, o homicídio aconteceu na Rua Leri Claudino da Silva, no Jardim São Luiz. Tanto a identificação das vítimas como o antecedente criminal delas não foram informados.

*com AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG