Polícia prende 25 pessoas durante operação na favela de Paraisópolis

Ação que começou na segunda-feira busca enfraquecer célula do PCC que atua na região. Polícia acredita que da comunidade partiram ordens de execução de policiais

iG São Paulo |

A Polícia Militar informou que 25 pessoas foram detidas em flagrante, até às 12h desta sexta-feira (2), durante a Operação Saturação realizada na comunidade Paraisópolis, na zona sul da capital. Além das prisões, a polícia conseguiu apreender 15 armas ilegais, 324 munições de diversos calibres, 26 kg de cocaína, mais de 333 kg de maconha e 50 unidades de drogas sintéticas. A operação também apreendeu 5 adolescentes e deteve seis foragidos da Justiça.

Leia também:  PM de São Paulo expande operação para mais bairros na zona sul

AE
Polícia ocupa favela de Paraisópolis, na zona sul de SP, desde segunda-feira (29)











O efetivo enviado a Paraisópolis é formado por policiais do Batalhão de Choque e do 16º Batalhão da PM. Ontem a PM informou a expansão da Operação Saturação para os bairros de Campo Limpo e Capão Redondo, ambos na zona sul da capital. A ação é agregada à ocupação da favela de Paraisópolis.

Cerca de 300 policiais foram escalados para trabalhar nessas regiões. A operação em Campo Limpo e no Capão Redondo começou às 17 horas de quinta e terminou às 6 horas de hoje. No total, 1071 pessoas foram abordadas e 9 presas em flagrante. Foram apreendidas duas armas, 7 munições, 5 kg de cocaína e 1,3 kg de maconha.

A Operação Saturação começou por volta de 5h30 de segunda-feira (29) transcorreu sem problemas. A tropa do Comando de Choque ocupou a área e fez bloqueios em várias ruas de acesso à favela. Veículos que saiam foram parados para averiguação, bolsas e mochilas foram abertas para serem revistadas. A população colaborou.

Ontem à noite:  Policial civil leva tiros nas costas em avenida da zona norte de SP

Entre os objetivos da operação, que conta com 500 homens da Tropa de Choque da PM, é o de reprimir o tráfico e da cédula do Primeiro Comando da Capital (PCC) na comunidade, de onde partiram ordens para a execução de Policiais Militares no Estado. São usados em toda a operação 100 carros, 2 caminhões, 28 motos, 8 cães, 60 cavalos e um helicóptero.

"Não há toque de recolher em São Paulo", diz Secretário de Segurança Pública

Saiba mais: PM faz operação com 500 agentes na favela de Paraisópolis

Na segunda-feira (29) Edson Ferreira dos Santos, de 31 anos, o Nenê, apontado pela polícia como membro do PCC, foi preso na favela. Ele seria o responsável por fazer os "julgamentos" nos chamados tribunais do crime em Paraisópolis, função conhecida como "disciplina" na facção criminosa.

Também foi encontrada na comunidade uma lista com os nomes de 40 policiais marcados para morrer - um total de 88 policiais foram mortos no Estado desde o começo do ano, incluindo dois PMs em horário de folga assassinados na noite da quarta-feira (30) na favela de Heliópolis, na zona sul.

(Com informações da Agência Estado) 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG