Cerimônia coletiva celebra união estável de casais gays em São Paulo

Encontro ocorreu na noite desta sexta-feira no Centro de Tradições Nordestinas, no bairro do Limão, zona norte da capital. Casais assinaram termo e receberam as escrituras

iG São Paulo |

Uma cerimônia comunitária gratuita oficializou a união estável de 47 casais homossexuais na cidade de São Paulo na noite desta sexta-feira (28). O encontro, promovido pelo governo do Estado, foi realizado no Centro de Tradições Nordestinas, no Bairro do Limão, e teve a participação de 32 casais de mulheres e 15 de homens. Na cerimônia, eles assinaram um termo e receberam as escrituras no evento.

Em abril:  Rio de Janeiro tem primeiro casamento gay oficializado

AE
Casal se beija após casamento coletivo e gratuito no Centro de Tradições Nordestinas localizada, nesta sexta-feira, em São Paulo

Os participantes se inscreveram anteriormente e compareceram a uma reunião para tirar dúvidas sobre os diferentes tipos de comunhão de bens - parcial, total ou com separação total. Na ocasião, também foram informados sobre a possibilidade da conversão da união estável em casamento civil, a escolha do nome social e questões como procedimentos para adoção, fertilização, entre outras que envolvem a vida conjugal.

AE
Casal gay que oficializou a união nesta sexta-feira em São Paulo

Leia também:
Brasil é destaque positivo em mapa gay de direitos
Pesquisa revela que 55% dos brasileiros são contra união gay
Governo recebe 3,4 denúncias de homofobia por dia 

A ação é de responsabilidade da Secretaria Estadual da Justiça e da Defesa da Cidadania, por meio do programa Centro de Integração da Cidadania (CIC) e da Coordenação da Diversidade Sexual. A Defensoria Pública do Estado de São Paulo e o 29º Tabelionato de Notas foram parceiros, oferecendo, respectivamente, apoio jurídico e a isenção nas taxas cobradas pelo cartório. O Centro de Tradições Nordestinas, por sua vez, cedeu o espaço gratuitamente.

De acordo com a coordenadora do CIC, Maria Isabel Cunha Soares, a ação foi pensada para oferecer a oportunidade de oficialização da união estável em regiões carentes da cidade. "A defesa dos direitos humanos nas periferias normalmente é tardia. Mas a necessidade de as pessoas demonstrarem publicamente que são homossexuais e buscarem seus direitos também está presente por lá", declarou. Segundo a Secretaria da Justiça, a cerimônia foi aberta a convidados dos casais e ao público em geral.

Com AE

    Leia tudo sobre: casamento gaycasamento coletivo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG