Metroviários de São Paulo ameaçam entrar em greve em outubro

Reunião desta quinta-feira não teve sucesso. Funcionários dão prazo até a próxima quinta-feira (27) à noite para que as negociações avancem

Agência Estado |

Agência Estado

A reunião entre o Sindicato dos Metroviários de São Paulo (Metroviários-SP) e representantes do Metrô na tarde desta quinta-feira (20) terminou sem sucesso, pois o Metrô não apresentou proposta aos trabalhadores. Os funcionários dão prazo até a próxima quinta-feira (27) à noite para que as negociações avancem. Caso contrário, podem cruzar os braços na segunda greve do ano no início do mês de outubro.

AE
Acúmulo de passageiros em ponto de ônibus em frente à Estação Conceição (maio/12)

Na próxima terça-feira (25), os representantes do sindicato voltam a se reunir com dirigentes do Metrô às 15 horas. A expectativa é de que nova proposta seja feita até o prazo limite. "Eles disseram que ainda não tinham proposta, mas que iriam elaborar uma. Achamos que eles iriam apresentar algo hoje (quinta-feira), mas, pelo jeito, ainda não se entenderam", disse o presidente do sindicato, Altino de Melo Prazeres Júnior.

Relembre a greve dos metroviários:
Fotos: Veja como foi a greve dos metroviários em São Paulo
Lentidão em São Paulo tem recorde histórico nesta manhã
Internautas comentam greve no metrô e CPTM nas redes sociais
Metroviários encerram greve e linhas voltam funcionar em São Paulo

A categoria está em estado de greve desde o último dia 13. A assembleia do dia 27 servirá para aprovar possível greve e marcar a data do início da paralisação. "Estamos dispostos a negociar. Está na mão deles resolver o problema", comentou o presidente do sindicato. As principais reivindicações dos metroviários são participação nos lucros (PLR) igual para todos os funcionários e pagamento antecipado de abril de 2013 para outubro deste ano; melhoria na jornada de trabalho e compensação das horas extras, além da equiparação salarial entre empregados com a mesma função.

Em nota distribuída à imprensa, o Metrô informa que a proposta de PLR "acompanha as variações salariais existentes na companhia, com garantia de que nenhum empregado da empresa receberá valor inferior a R$ 4.140,63". Além disso, a nota diz que o pagamento será feito em abril de 2013 e que nenhum empregado realiza jornada acima de 40 horas semanais. "O Metrô já realizou, entre maio de 2011 e agosto de 2012, 7.061 movimentações salariais, das quais 1.143 foram promoções", diz a nota. O Metrô afirma que está aberto ao diálogo com os metroviários.

    Leia tudo sobre: metroviáriosmetros-spgreveparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG