Chuva acaba com estiagem de 62 dias em São Paulo

Após três dias de recorde de temperatura máxima, cidade de São Paulo começa a ter virada no tempo. Próximos dias devem ter chuva e temperaturas amenas

Agência Estado |

Agência Estado

Depois de alcançar a maior temperatura no inverno desde 2007, com 34,1ºC na terça-feira , e bater o recorde de madrugada mais quente em 33 anos, com 25,7ºC nesta quarta-feira (19), os termômetros da cidade de São Paulo começam a 'se acalmar' com a chegada de uma frente fria entre a noite desta quarta-feira e a madrugada de quinta. Na tarde desta quarta-feira, a máxima registrada na capital paulista ainda foi alta, com 33,7ºC, mas menor que registrado nos últimos dois dias.

Clima: Veja a previsão do tempo para a sua cidade
Planeta Terra: Agosto de 2012 é o segundo mês mais quente da história

AE
Movimento de veículos e chuva no início da noite de quarta-feira na Marginal Pinheiros, na altura da Ponte João Dias

Durante a noite, áreas de instabilidade provocavam chuva leve e moderada em praticamente toda a zona sul da cidade. Nas demais regiões, não chove significativamente.

Mais:  Temporal deixa 16,5 mil sem energia no interior de São Paulo

Na região metropolitana, as chuvas atingiram moderadamente os municípios de Santana de Paranaíba, Barueri, Cotia, Itapecerica da Serra e São Lourenço da Serra. No Grande ABC, também ocorreu precipitação moderada entre São Bernardo e Diadema.

A chuva encerra a estiagem de 62 dias - a terceira maior desde 1961, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). São registradas como precipitações apenas chuvas superiores a 1 milímetro. Na estação do M'Boi Mirim do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), foi registrado mais de 8mm de chuva.

GERO/FUTURA PRESS/AE
Movimentação de paulistanos no SESC Itaquera, na zona leste de São Paulo, nesta quarta-feira

Segundo os meteorologistas do CGE, a noite continua com condição para chuvas, entretanto de forma isolada e rápida. As temperaturas ficam mais agradáveis, e durante a madrugada a mínima prevista é de 20ºC. A máxima na quinta-feira não deve ultrapassar os 24º C.

A massa de ar frio e úmido vinda do Rio Grande do Sul, que já penetrava o Estado de São Paulo no começo da tarde desta quarta-feira, expulsa a massa de ar seco vinda do Centro-Oeste do País, responsável pelas temperaturas elevadas e pela baixa umidade relativa do ar. "A alta temperatura que tivemos nesta madrugada é sinal do aquecimento que precede a chegada frente fria", explica o meteorologista Franco Villela, do Inmet.

Por conta desta frente fria, a temperatura segue em queda até domingo na capital paulista, com mínimas entre 19º C e 14º C e máximas entre 24ºC e 14º C. O mesmo vale para o restante do Estado, incluindo o litoral, cuja máxima nesta quinta-feira fica entre 20º C e 23 ºC.

Umidade Relativa

Enquanto as chuvas não chegam, a umidade relativa do ar voltou a ficar baixa nesta quarta-feira. Às 9h15 o índice ficou em 27%, o que levou a Defesa Civil a decretar estado de atenção, o que acontece com umidade entre 21% e 30%. Às 14h47, a taxa caiu ainda mais, para 21% no Campo de Marte, na zona norte, e 19% em Congonhas, na zona sul - este último configurando estado de atenção.

Madrugada mais quente

A temperatura mínima verificada na madrugada desta quarta-feira na estação do Mirante de Santana, na zona norte, onde são feitas as medições oficiais do Inmet, foi de 25,7ºC. Trata-se da temperatura mais alta desde 1979, quando tive início esse tipo de medição. O último registro de madrugada tão quente foi em 2 de fevereiro de 1998, com 25,3 ºC.

    Leia tudo sobre: calorumidade relativa do artemperaturarecorde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG