Ministério Público investiga se incêndios em favelas paulistanas são propositais

“É curioso notar que esses incêndios têm acontecido, de forma geral, em lugares onde há forte interesse do mercado imobiliário”, diz promotor da área de Habitação e Urbanismo

Agência Brasil |

Agência Brasil

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) investiga se há origem comum entre os incêndios em favelas paulistanas, por suspeita de que estejam sendo provocados por grupos interessados em tirar vantagem econômica dos terrenos. A declaração foi dada nesta terça-feira (18) pelo promotor da área de Habitação e Urbanismo José Carlos Freitas.

Depoimentos:
Só estou com a roupa do corpo, minha filha e meu marido, diz moradora de favela
'Auxílio-aluguel não dá pra pagar nada', diz morador de favela incendiada em SP
Famílias vivem drama de reconstruir vidas após série de incêndios em SP

LUIZ GUARNIERI/BRAZIL PHOTO PRESS/AE
Bombeiros tentam controlar incêndio em favela em São Paulo, em agosto

“É curioso notar que esses incêndios têm acontecido, de forma geral, em lugares onde há forte interesse do mercado imobiliário”, avalia o promotor. Ele aponta que, normalmente, são áreas nas quais se pretende construir empreendimentos não só habitacionais, mas também empreendimentos comerciais, especialmente, onde há obras públicas a serem implantadas. A área criminal [do MP] está preocupada com a essa coincidência”, justificou.

Grandes incêndios recentes em favelas:
17/09:  Incêndio em favela deixa morto e 300 desabrigados no centro de São Paulo
03/09:  Incêndio destrói 285 barracos e deixa 1.140 desabrigados em São Paulo
23/08:  Incêndio destrói 95 moradias em deixa 600 pessoas desabrigadas em São Paulo
18/08: Bombeiros e moradores controlam incêndio em favela da zona sul de SP
17/08: Barracos pegam fogo em favela da zona oeste de São Paulo

AE
Morador deixa área incendiada de favela da zona sul de São Paulo

A Câmara Municipal de São Paulo também investiga as causas e responsabilidades sobre os incidentes por meio de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) , instalada em abril de 2011. Só em 2012, por exemplo, foram ocorreram 33 incêndios de grandes proporções em favelas da capital paulista. A comissão já identificou que a apuração das causas dessas ocorrências é quase sempre inconclusiva.

Para Freitas, embora os incêndios sejam justificados por condições como falta de umidade e precariedade das moradias, a explicação não é lógica. “Outras favelas que têm a mesma estrutura de construção também estão sujeitas à falta de umidade, mas os incêndios não têm acontecido com essa frequência em regiões mais distantes”, compara.

Uma das atribuições da Promotoria de Habitação e Urbanismo é acompanhar o destino dado às famílias que são desalojadas em decorrência dos incêndios. “Ao longo dessas investigações, quando detectamos alguma prática criminosa, nós encaminhamos para a Promotoria Criminal para que ela apure as causas e se há alguma atividade orquestrada para incêndios dessa natureza”, explicou.

Gabriela Bilo/Futura Press
Moradores ajudam bombeiros em incêndio no centro de São Paulo, nesta semana


    Leia tudo sobre: incêndioministério público

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG