Protesto e bloqueio de viaduto complicam trânsito em São Paulo

Grupo realiza manifestação na avenida Interlagos, na zona sul, e causa lentidão na região. Já interdição de viaduto Orlando Murgel, no centro, altera rota de 17 linhas de ônibus

Agência Estado | - Atualizada às

Agência Estado

Manifestação e bloqueios causam lentidão nas principais vias da capital paulista nesta terça-feira. Um grupo realizou protestos na avenida Interlagos, na zona sul de São Paulo, pelo atraso na entrega de apartamentos. Enquanto o viaduto Orlando Murgel, na região central da cidade, continua totalmente bloqueado depois do incêndio que destruiu parte da Favela do Moinho na segunda-feira.

Acompanhe o trânsito de São Paulo

O protesto teve início às 8h30 de hoje, na altura do número 800, da avenida Interlagos, e conta com a participação de 50 manifestantes. De acordo com a Polícia Militar, que acompanhava o ato, a manifestação era pacífica e não ocupava a avenida. No entanto, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou tráfego intenso de veículos, com pontos de parada.

Entenda:  Viaduto atingido por incêndio em SP é interditado por tempo indeterminado

Marco Ambrósio/Futura Press
Protesto de compradores de apartamentos no condomínio Domínio Marajoara, na avenida Interlagos

Segundo a CET, as filas são causadas por motoristas curiosos que reduzem a velocidade para acompanhar o protesto. O grupo pede o aval da Prefeitura de São Paulo para habitar edificações cuja construção foi liberada pela administração, que não teria concedido o Habite-se - Certificado de conclusão.

Já o viaduto Orlando Murgel, que interliga as avenidas Rudge e Rio Branco e é uma das principais ligações entre o centro e a zona norte da cidade, foi interditado nos dois sentidos durante o incêndio que consumiu 80 barracos e deixou 300 pessoas desabrigadas na Favela do Moinho, na região central de São Paulo.

O incêndio: Incêndio em favela deixa morto e 300 desabrigados no centro
Crime: Polícia prende suspeito de iniciar incêndio na Favela do Moinho 
Atingidos: 'Auxílio-aluguel não dá pra pagar nada', diz morador de favela incendiada

A via passa sobre a comunidade assim como de duas linhas férreas da CPTM: Linha 8-Diamante e Linha 7-Rubi.Os trens já voltaram a circular normalmente, mas não há previsão de liberação do viaduto. A interdição causou transtorno no trânsito. Os motoristas que seguem pela avenida Rio Branco, sentido centro, utilizam o desvio pelas ruas Norma, Pieruccini Giannotti e Sérgio Tomás. No sentido bairro o fluxo é liberado pela avenida Duque de Caxias. A CET monitora a região.

Agência Brasil
Barracos destruídos abaixo do viaduto Orlando Murgel, no centro da cidade, que foi interditado após o incêndio

Transporte público

De acordo com a SPTrans, as 17 linhas de ônibus que atendem a região tiveram circulação desviada por vias próximas desde a manhã de segunda-feira. São seis pontos de parada dos coletivos que tiveram localização alterada provisoriamente. Segundo a empresa, há técnicos nas ruas que auxiliam os passageiros com informações e horários dos ônibus.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG