Após alvará cassado, West Plaza consegue liminar e evita fechamento

Juiz cancelou interdição e multas dizendo que shopping tem executado obras para regularização. Centro comercial teve alvará cassado no dia 14 de agosto

Agência Estado |

Agência Estado

O Shopping West Plaza, na Pompeia, zona oeste da capital paulista, conseguiu uma liminar na Justiça impedindo seu fechamento, que aconteceria nesta sexta-feira (14). O centro de compras teve o alvará cassado no dia 14 de agosto, por construir em áreas não previstas na planta original, e recebeu um prazo de 30 dias para se regularizar.

Na terça-feira (11), no entanto, o juiz Alexandre Jorge Carneiro da Cunha Filho, da 11º Vara da Fazenda Pública, publicou decisão cancelando a interdição, por considerar que o shopping está executando as obras de regularização necessárias.

Leia também:  Alvará do shopping West Plaza é cassado pela prefeitura

As duas multas aplicadas pela Subprefeitura da Lapa sobre o empreendimento, somando mais de R$ 900 mil, também foram suspensas pelo magistrado na liminar. A Prefeitura de São Paulo foi consultada, mas ainda não informou se irá recorrer da decisão. O assessoria de imprensa do West Plaza também foi consultada e ainda não se manifestou.

O caso

O West Plaza foi aberto em 1991 e tem 111 mil metros quadrados, 218 lojas e perto de 3,5 mil funcionários. A suspeita é de que o centro de compras tenha várias irregularidades. A prefeitura e o Ministério Público avaliam que pelo menos 20 mil metros quadrados que não constavam na planta original tenham sido construídos.

Leia também: Em São Paulo, 19 dos 47 shoppings estão com situação regularizada

O shopping teria conseguido obter vantagens após supostos pagamentos ao ex-diretor do Departamento de Aprovação de Edificações (Aprov), Hussain Aref Saab .

O West Plaza também é investigado pelo Ministério Público por suspeita de ter um de seus laudos de segurança obtido por meio de propina paga a bombeiros. O documento teria sido utilizado pelo centro de compras para a concessão da licença definitiva de funcionamento, concedida pela Prefeitura em 2006.

Os shoppings Pátio Higienópolis, Raposo, Paulista e Vila Olímpia também estão sob suspeita de terem comprado laudos que facilitavam a emissão de alvarás.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG