Alckmin anuncia reformas em 12 estações da CPTM em São Paulo

Obras incluem instalações de escadas rolantes, piso tátil para deficientes e banheiros. Intervenções devem começar entre o fim deste ano e o começo de 2013

Agência Estado |

Agência Estado

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) anunciou na segunda-feira (10) que vai fazer reformas em 12 das 17 estações da Linha 7-Rubi, que liga a capital paulista a Jundiaí. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), durante evento para lançamento do projeto de trem expresso que vai ligar as duas cidades.

Relembre:  No mês de aniversário, linhas da CPTM têm problemas em 15 dias

As primeiras estações da reforma, Franco da Rocha, Francisco Morato, Jaraguá e Vila Aurora, já estão com as obras em andamento. A previsão é que as próximas reformas comecem entre 2013 e 2014. As inaugurações das novas paradas devem ocorrer apenas em 2015.

A estimativa do governo do Estado é gastar R$ 30 milhões com os projetos das estações e cerca de R$ 675 milhões com as obras. Em oito estações (Pirituba, Perus, Caieiras, Baltazar Fidelis, Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí) a contratação do projeto executivo já terminou. As obras devem começar entre o fim deste ano e o começo de 2013.

A promessa da CPTM é contratar, até o começo do ano que vem, os projetos para as estações Água Branca, Lapa, Piqueri e Vila Clarice. Em todas as paradas, as obras incluem a instalação de escadas rolantes, piso tátil para deficientes, banheiros e outros serviços para readequar a linha à demanda de passageiros, que hoje chega a meio milhão de pessoas por dia.

Trem expresso

O edital para contratar o projeto executivo do trem que ligará a capital e Jundiaí em 25 minutos será publicado hoje. O trajeto terá partida na Estação Água Branca e conexão com a Linha 7-Rubi e com a futura Linha 6-Laranja do Metrô - conforme o Estado antecipou há duas semanas.

O projeto deve ficar pronto até o fim do ano. A expectativa do governo é iniciar a construção da linha no ano que vem, com custo previsto de R$ 3,2 bilhões e participação de empresas privadas. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Leia tudo sobre: reformas cptmGeraldo Alckminestaçõescptm

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG