Garoto é 'enganado' e 'roubado' durante incêndio em favela de São Paulo

Segundo pai, adolescente de 15 anos entrou em barraco incendiado para resgatar a mãe após ser alertado por outros moradores que o enganaram para roubar seus móveis

BBC Brasil |

BBC

Para Adílson de Moraes Nogueira, de 46 anos, perder tudo que havia conquistado com suor não foi a maior dor causada pelo incêndio na favela Morro do Piolho , na zona sul de São Paulo.

Leia também:  Famílias vivem drama de reconstruir vidas após série de incêndios em SP

O ajudante de serviços gerais conta que, pouco após seu filho ter conseguido tirar muitos dos móveis e objetos de valor do barraco da família, vizinhos lhe disseram que sua mãe estava presa em meio às chamas.

O garoto, de 15 anos, voltou para dentro da comunidade e sofreu queimaduras no rosto e em diversas partes do corpo procurando pela mãe, que na verdade tinha escapado por outro lado da favela, em segurança. "Era mentira, saquearam tudo que a gente tinha", diz Adilson.

Mais:
Depoimento: 'Só estou com a roupa do corpo, minha filha e meu marido', diz moradora
Dia seguinte: Moradores de favela passam noite na rua e tentam recuperar objetos

"É difícil, mostra que a gente pensa que pode confiar nas pessoas, mas está enganado. Espero que quem levou minhas coisas faça bom proveito, mas quero agora cuidar da saúde do meu filho", acrescenta.

Sua prioridade agora é garantir o tratamento médico para o adolescente. "Nem todo posto de saúde tem os medicamentos e pomadas para queimaduras sérias. Em um hospital recusaram a internação", critica.

O filho de Adílson foi o morador que teve os ferimentos mais graves dentre os mais de mil desabrigados pelo fogo. Outros dois tiveram ferimentos mais leves.

    Leia tudo sobre: brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG