Homem pode ter ajudado Elize a esquartejar Matsunaga, diz revista

IstoÉ diz ter tido acesso a laudo da polícia científica que encontrou DNA de outra pessoa no corpo do empresário. Peritos devem dar novos esclarecimentos ao MP nos próximos dias

iG São Paulo | - Atualizada às

Amostras de DNA encontradas pelo Instituto de Criminalística da Polícia Técnico-Científica de São Paulo mostram que um homem pode ter ajudado Elize Matsunaga a esquartejar o marido, Marcos Matsunaga, informou a revista IstoÉ. Elize, que confessou o crime , disse ter agido sozinha.

A revista disse ter tido acesso ao laudo assinado pela perita criminal Roberta Casemiro da Rocha Hirschfeld, que reuniu amostras de sangue no quarto em que Elize esquartejou o empresário, em maio. O documento afirma que foram identificados materiais genéticos de no mínimo dois indivíduos, um deles do sexo masculino – e não há possibilidade de esse material ser da vítima.

Leia também:  'É lamentável', diz advogado sobre vazamento de fotos de Matsunaga 

Segundo a revista, isso indicaria que Elize teria tido pelo menos um cúmplice. Não está claro se o outro material genético é o da própria acusada, levantando a possibilidade de ela ter recebido ajuda de mais uma pessoa. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo afirmou não ter informações sobre o laudo. 

O promotor José Carlos Cocenzo, responsável pela denúncia contra Elize, disse ao iG que os peritos serão ouvidos para dar esclarecimentos do material recolhido no apartamento. Concenzo afirmou ainda ter recebido os autos na sexta-feira, 31 de agosto, e iria analisá-los até quarta-feira (5) - dia que o prazo para incluir manifestações sobre a defesa da ré se encerrará.

Para Concenzo, não há surpresa na afirmação da revista. Segundo ele, todas as informações estão presentes no inquérito. "Tenho convicção técnica que o homicídio foi realizado somente por ela (Elize), mas os desfechos podem ter sido realizados com a ajuda de duas ou mais pessoas." 

"Nas conclusões dos autos, o legista escreveu que pelo menos duas pessoas - uma com conhecimento anatômico e outra não - haviam participado do esquartejamento. Eu confio nas precisões técnicas da investigação", explicou.

O promotor explicou também que o detalhamento dos peritos criminiais pode levar o Ministério Público a avaliar a necessidade de novas investigações. "Precisamos saber se a amostra de sangue já estava lá e é antiga. Ou se até é de antes do problema. Isso é técnico e teremos essas respostas nos próximos dias."

O crime

De acordo com o depoimento de Elize à polícia, o casal teve uma discussão conjugal no apartamento e Matsunaga a teria agredido. Elize reagiu pegando uma arma e dando um tiro à queima-roupa na cabeça do empresário. Em seguida, teria arrastado o corpo até o banheiro dos fundos, onde aconteceu o esquartejamento.

Leia também:  Novo pedido de liberdade a Elize Matsunaga é negado

Câmeras de segurança instaladas dentro dos elevadores do prédio flagraram Eliza saindo do apartamento com três malas. Segundo depoimento da própria acusada, as malas foram abandonadas na Rodovia SP-127. Dentro delas estavam as partes do corpo do marido.

Nesta semana, foram divulgadas na internet imagens do corpo do empresário esquartejado são mostradas, mostradas em sacos plásticos e em uma mesa cirúrgica, após serem levadas para a perícia.

Segundo o advogado de defesa de Eliza, Luciano Santoro, essas imagens fazem parte dos autos do processo. Ele classificou a divulgação das fotos de " lamentável ".

    Leia tudo sobre: Marcos MatsunagaElize Matsunagacrimeesquartejado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG