Ônibus é queimado na zona leste de SP e três pessoas ficam feridas

Incêndio criminoso foi realizado por 10 adolescentes, no Jardim Lajeado. Motorista, cobrador e passageira com dificuldades de locomoção sofreram queimaduras pelo corpo

iG São Paulo | - Atualizada às

Três pessoas ficaram feridas, na noite de segunda-feira, em razão de um ataque incendiário contra um ônibus da Viação Itaim Paulista (VIP), no Jardim Lajeado, zona leste da capital paulista. A ação criminosa ocorreu na altura do número 5.930 da Avenida Nordestina, segundos após o veículo, que fazia a linha 2059 (São Miguel Paulista - Guaianazes), parar em um ponto.

Leia também:  Carreta tomba e bloqueia rodovia Régis Bittencourt em SP

O inspetor Josué Bentson, da empresa VIP, afirmou que, de acordo com relato de testemunhas, o coletivo havia parado, atendendo a uma solicitação de supostos passageiros, quando alguns de um grupo de cerca de 10 adolescentes invadiram o ônibus e ordenaram que todos os quase 50 ocupantes descessem. Em seguida, jogaram um produto químico e atearam fogo.

HÉLIO TORCHI/AE/AE
Veículo teria sido atacado por adolescentes na avenida Nordestina, na zona leste de São Paulo

"O motorista nosso, infelizmente, ficou preso ao cinto de segurança. Uma usuária, com deficiência física na perna, teve dificuldade de se locomover. O cobrador pulou a catraca, tentou ajudá-la e os três sofreram ferimentos. Infelizmente, o motorista e a deficiente física estão em estado que inspira cuidados.", relatou o inspetor.

Cinco equipes dos bombeiros apagaram as chamas, mas o ônibus ficou completamente destruído. Os feridos foram levados pelos resgates para os hospitais de São Mateus e do Tatuapé.

O motorista, Jefferson Alves da Silva, de 31 anos, teve queimaduras de 2º grau no rosto, braços e pernas. André Sales, o cobrador, sofreu ferimentos nas pernas. Já a passageira Luziane Cristina Filger, que se locomove com auxílio de muletas, ficou ferida em um dos braços, nas pernas e em parte do tronco.

Segundo ainda o inspetor, o cobrador foi medicado e liberado para prestar depoimento. Policiais militares chegaram rapidamente ao local do ataque, mas não conseguiram prender nenhum suspeito. Josué afirmou que esse seria já o oitavo coletivo da empresa incendiado na mesma região e que ouviu das pessoas que moram na região que o atentado desta segunda-feira pode ser uma represália à ação da PM contra bandidos locais. A ocorrência foi registrada no plantão do 50º DP, do Itaim Paulista, onde será nvestigada.

*com AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG