Empresários desaparecidos de SP podem ter empresa de fachada, diz polícia

Mônica Petti e Fernando dos Anjos foram considerados desaparecidos após viagem ao Rio no começo do mês. Corpos foram encontrados no Rio, um era de Mônica

iG São Paulo | - Atualizada às

O Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade), da Polícia Civil de São Paulo, acredita que os empresários Mônica Petti e Fernando dos Anjos, que desapareceram após viagem ao Rio no começo do mês, tinham empresa de fachada e poderiam estar envolvidos com lavagem de dinheiro. Os sócios estão desaparecidos desde domingo (11).

Empresário leva chute na cabeça e morre após apitar falta em pelada em Niterói

Segundo a polícia, os empresários teriam ido ao Rio para assistir a uma corrida de cavalos e planejavam retornar no mesmo dia. Porém, dois dias depois, o corpo de Mônica foi encontrado na região do Vigário Geral, no Rio, com sinais de pauladas. Um outro corpo foi localizado carbonizado em Honório Gurgel. O IML do Rio realiza exames de identificação.

Escritório vazio

A Polícia Civil de São Paulo participa da investigação já que os veículos dos empresários foram deixados no estacionamento do Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. Durante a perícia nos carros, realizada no final da tarde de terça-feira (14), foram encontrados documentos da empresa do casal.

Ao visitar o escritório do grupo, em um endereço não informado, a polícia encontrou o local vazio. Com isso, os investigadores acreditam que a empresa poderia ser de  fachada para a prática de lavagem de dinheiro, já que foi encontrado um contrato de aluguel do local renovado para mais um ano e meio.

Investigadores de São Paulo e Rio já começaram a ouvir familiares das vítimas. Na capital fluminense, a mulher de Fernando foi ouvida. Em São Paulo, foi a irmã de Mônica que prestou depoimento. O conteúdo das oitivas não foi divulgado e a motivação do crime ainda não foi esclarecida. A Divisão de Homicídios (RJ) afirmou que não descarta nenhuma linha de investigação, inclusive a possibilidade de execução.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG