Idosa é presa após entrar armada em banco para cobrar troco de R$ 50 em SP

Segundo aposentada, caixa do banco teria deixado de dar R$ 50 a ela. Após ameaçar o gerente e levar o valor, mulher de 73 anos foi presa e libertada após pagar fiança de R$ 630

Agência Estado |

Agência Estado

A aposentada Janet Benfatti, de 73 anos, foi presa nesta quarta-feira depois de entrar armada com um revólver carregado na agência do Itaú, do bairro Boa Vista, em São José do Rio Preto (SP). Janet estava revoltada porque uma das caixas do banco teria deixado de lhe entregar R$ 50 de um saque de R$ 500 que fizera na véspera. "Só percebi que faltavam R$ 50 quando cheguei em casa, de tardezinha", contou ela.

Leia também:  Polícia prende 'Vovô do crack' em Pernambuco

Nesta quarta-feira, Janet pretendia usar a arma para intimidar a caixa e receber os R$ 50. Sem encontrar dificuldade, ela entrou na agência e como não encontrou a caixa, que não tinha ido trabalhar, ameaçou o gerente.

"Como me falaram que a caixa não estava, mostrei a arma para o gerente e falei que queria receber o que faltava", disse ela. O gerente entregou os R$ 50 e ainda conseguiu acalmar a mulher, que foi embora. Em seguida, chamou a polícia e anotou as placas do Fiat Uno usado pela professora.

Para localizar Janet, a Polícia Militar (PM) mobilizou diversas viaturas e usou até o helicóptero Águia. Janet foi presa quando se preparava para entrar no elevador no prédio onde mora, na avenida Alberto Andaló, na região central de Rio Preto. No bolso da calça dela, os policiais encontraram a arma, calibre 32, com seis cartuchos intactos, e deram voz de prisão. A arma era de um parente de Janet.

À polícia, a professora admitiu que ameaçou o gerente, mas disse que não pretendia fazer disparo. "Eu queria apenas receber o resto do dinheiro que faltava", disse. A professora foi presa em flagrante, mas no final da tarde conseguiu ser liberada após pagamento de fiança, arbitrada em R$ 630.

Formada em letras e filosofia, com especialização em literatura portuguesa, Janet disse que defende o porte de arma para a população. "Toda mulher que se preze tem de usar uma arma para a segurança dela. Sou a favor do porte de arma. A polícia tem de tirar a arma dos bandidos e não das pessoas de bem. Se os bandidos podem suar arma, porque não podemos?", comentou a professora, enquanto esperava atendimento no plantão policial.

O banco Itaú não explicou como a professora conseguiu entrar armada na agência e se realmente faltou os R$ 50 no saque dela. Em uma nota curta, a assessoria do banco disse apenas que o banco lamenta o episódio e está apurando os fatos. "O Itaú Unibanco lamenta o ocorrido. Estamos apurando rigorosamente este fato e tomaremos as providências necessárias", diz a nota.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG