Polícia liberta médico sequestrado por ordem da própria mulher em São Paulo

"Eu estava dormindo com a inimiga", disse o médico que mora no interior de São Paulo. Mulher planejou o sequestro e pedia R$ 100 mil para a família do marido

Agência Estado |

Agência Estado

Depois de ser sequestrado na quarta-feira, após terminar seu plantão no Pronto Socorro Municipal de Anhembi, no interior de São Paulo, o médico Frank Emerson Sussumo Sato, de 41 anos, foi libertado no início da madrugada desta sexta-feira em São Manuel, também no interior paulista.

Leia também:  Policial civil é preso no Rio suspeito de sequestro e roubo

Policiais civis de São Manuel, Lins e Botucatu estouraram o cativeiro no bairro Santa Mônica e prenderam os seis sequestradores, três homens e três mulheres. Encapuzados, dois homens armados abordaram o médico e lhe deram um remédio que provoca sono. Eles exigiam R$ 100 mil de resgate.

A própria mulher do médico, Deise Fernanda Bertolo, de 29 anos, planejou o sequestro. E se fingiu de vítima. "Ela bolou tudo, queria extorquir R$ 100 mil do marido. Enfiaram um capuz no médico e o colocaram no carro junto com a esposa, que simulava estar sequestrada com o marido. Na estrada, o médico foi colocado no porta-malas e, nessa parada, a Deise desceu com a missão de arrumar o dinheiro. "Eu estava dormindo com a inimiga", disse o médico no depoimento, explicou José Mário Toniato, de 59 anos, delegado titular de São Manuel.

Com um hematoma maquiado no rosto, ela viajou para Lins e conversou com o sogro Antônio Sato sobre o sequestro do filho, explicando que ele seria morto se o resgate não fosse pago. "O pai quis arrumar os R$ 100 mil no banco, mas o gerente desconfiou da quantia e avisou a polícia, que ouviu a mulher. Ela confessou tudo", contou o policial, observando que os outros acusados também confessaram o crime.

Além de Deise, foram presos Patrick Santos de Oliveira, de 20 anos, as irmãs Fabiana Tomazini, de 33, e Alessandra Tomazini, de 35, Cláudio Márcio de Souza, de 34, e José Severino Lopes, de 47, que tem passagem por tráfico. "O Cláudio forneceu a casa para o cativeiro", completou o delegado.

A mulher de Sato, que mora em Botucatu, está presa na Cadeia Feminina de Cerqueira César. As duas irmãs foram levadas para Itatinga. Já os três homens estão presos na Cadeia Pública de São Manuel e deverão ser transferidos para um presídio da região.

    Leia tudo sobre: sequestroAnhembiBotucatuLinsSão Manuel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG