Polícia prende guardas que tentaram vender imagens de paraquedista morto

Segundo a polícia, dois guardas municipais de Boituva tentavam vender as imagens da câmera de Alex Adelmann por R$ 100 mil para uma agência de notícias

Agência Estado |

Agência Estado

A Polícia Civil de Sorocaba (SP) prendeu na noite de quinta-feira em Boituva o guarda municipal Américo Meneguetti, de 33 anos, depois de encontrar em sua residência a câmera do paraquedista Alex Adelmann, que foi atingido por um avião quando filmava um salto no Centro Nacional de Paraquedismo , naquela cidade, no último dia 9. O instrutor morreu e outros dois ficaram feridos.

Investigações: Polícia e Aeronáutica fazem perícia no avião que matou paraquedista
Depoimento: Piloto diz que não sabia de manobra feita por paraquedistas em SP 

Outro guarda municipal, Marcelo Antunes Fogaça, também foi preso. Os dois tentavam vender as imagens por R$ 100 mil para uma agência de notícias. A polícia divulgou nesta sexta-feira as imagens captadas pelo equipamento na hora do salto. O vídeo mostra o momento em que o paraquedista é atingido pelo avião.

Segundo o Delegado Seccional de Sorocaba, André Moron, Meneguetti ajudou no resgate dos paraquedistas feridos durante o salto e encontrou a câmera e não entregou à polícia. De acordo com o delegado, ele ainda pediu ajuda ao amigo para vender as imagens. "A dupla sonegou informações para a polícia em troca de vantagens financeiras. As imagens vão esclarecer como ocorreu o acidente", disse.  Veja abaixo as imagens do avião feitas durante a perícia:


    Leia tudo sobre: paraquedistaBoituvaacidente de avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG