Prefeitura diz "que não cogita proibir a distribuição de alimentos por ONGs na região central da cidade"

Cerca de cem manifestantes se reuniram nesta sexta-feira em frente a Prefeitura de São Paulo, no centro da capital paulista, para protestar contra as mudanças na distribuição de refeições por instituições de caridade para moradores de rua de São Paulo. 

O movimento:  Internautas organizam “sopaço” em São Paulo

Manifestantes, entre eles padre Júlio Lancelotti, da Pastoral do Povo de Rua, reunidos em frente da prefeitura, nesta sexta-feira
AE
Manifestantes, entre eles padre Júlio Lancelotti, da Pastoral do Povo de Rua, reunidos em frente da prefeitura, nesta sexta-feira

Atualmente, 48 instituições oferecem voluntariamente o sopão e, após determinação da prefeitura, terão de distribuir o alimento em nove tendas, conhecidas como espaços de convivência social. A ideia é que o morador de rua fique mais tempo em abrigos. 

Como protesto, após uma passeata que terminou na sede da prefeitura, os manifestantes fazem um "sopaço" contra as mudanças pretendidas pela administração pública.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo diz "que não cogita proibir a distribuição de alimentos por ONGs na região central da cidade. O que existe é a proposta de que as entidades ocupem espaços públicos destinados para o atendimento às pessoas em situação de rua, como as tendas instaladas pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. A prefeitura entende que a união das ações das OGNs com as dos agentes sociais têm potencial para tornar ainda mais eficazes as políticas de reinserção social".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.