Troca de tiros entre policiais deixa um morto em Guarulhos

PM acusado de corrupção ia receber dinheiro de bandidos, quando foi abordado por colegas; no tiroteio, um policial ficou gravemente ferido

Agência Estado |

Agência Estado

Um soldado da Força Tática do 29º Batalhão da Polícia Militar foi baleado na cabeça e outro policial, identificado como Gilmar Martins dos Santos, morreu, por volta da 1h30 desta madrugada de terça-feira em um confronto entre integrantes da mesma corporação próximo ao trevo de Cumbica da rodovia Ayrton Senna, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Rio de Janeiro:  Doze PMs de UPP são presos suspeitos de extorsão contra traficante

2011:  Em cinco anos, Justiça abriu ações contra 398 PMs por corrupção e roubo

Tudo começou quando PMs da viatura do tenente Luan Pereira abordaram um Passat verde, de placas AUO 3210, do Paraná, ocupado por dois homens, na avenida Recife, próximo à Adega Alambique Casteluche, no Jardim Paulista, em Guarulhos.

Com a dupla, os policiais encontraram cerca de R$ 1 mil que, segundo Gelson Freire de Oliveira e Ricardo Mariano Miranda, iriam ser entregues para dois policiais militares que os ameaçavam prender. Gelson e Ricardo haviam sido flagrados com drogas e, caso pagassem aquela quantia em dinheiro, não seriam mais incomodados pelos PMs.

Os policiais da viatura de Força Tática do 29º Batalhão, então, pediram reforço da viatura do sargento Sérgio Simões, e entraram no Passat, indo até o local aonde seria feito o pagamento, na região da Rodovia Ayrton Senna.

Rocinha:  Traficante Nem temia ser morto por policiais suspeitos

Lá abordaram os dois policiais acusados de corrupção, identificados como Gilmar Martins dos Santos e Anderson Roberto dos Santos, que resolveram atirar. Um dos policiais fardados, um soldado, foi baleado na cabeça e continua internado em estado grave. O policial à paisana que iria receber o dinheiro morreu. Já o comparsa dele, Anderson Roberto, acabou preso.

O caso foi registrado no 4º Distrito Policial de Guarulhos pelo delegado João Batista Pires e será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

    Leia tudo sobre: polícia militarcorrupçãocrimeviolênciatiroteioguarulhos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG