Polícia prende suspeitos de pelo menos seis arrastões a motéis em São Paulo

Segundo a polícia, suspeitos fazem parte de grupo que teria assaltado mais de 50 casais em motéis invadidos na zona oeste de São Paulo

iG São Paulo |

Agentes do 1º Distrito Policial, no Rio Pequeno, zona oeste de São Paulo, prenderam dois suspeitos de integrar uma quadrilha que realizou arrastões em pelo menos seis motéis, roubando mais de 50 clientes, nos bairros do Jardim Arpoador e Vila Sônia, na zona oeste da capital.

Crime da moda: Pelo menos 30 restaurantes foram alvos de arrastões em São Paulo

Divulgação
Objetos recuperados começaram a ser entregues aos donos

Segundo a polícia, depois de dois meses de investigações, dois homens estão presos e um terceiro está foragido. Uma mulher, também integrante da quadrilha, está sendo procurada.

Segundo a polícia, o grupo praticava os arrastões após um dos suspeitos, acompanhado da mulher, entrar no estabelecimento e render um dos funcionários. Em seguida, os outros criminosos da quadrilha invadiam os locais armados. O grupo usava o empregado como escudo e passava de quarto em quarto para roubar os casais e equipamentos dos motéis.

“Na época do Dia dos Namorados, por exemplo, eles se aproveitavam da data comemorativa e obrigavam os funcionários a passar pelos quartos oferecendo champanhe. Depois que os clientes abriam as portas, eles entravam e roubavam as vítimas”, explicou Reginaldo Pires de Oliveira, de 42 anos, investigador chefe do 51º DP. Depois do arrastão, a quadrilha guardava os objetos roubados nos carros dos clientes e fugiam.

Investigação e prisões

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os policiais civis chegaram aos suspeitos dos crimes após analisar imagens das câmeras do circuito interno dos motéis e descobrir que a quadrilha abandonava os veículos roubados na entrada da Favela do Sapé, no Rio Pequeno.

A combinação das duas informações permitiu a identificação do grupo. “Um dos autores já têm passagens pela polícia e nós possuíamos fotos dele. Então, fomos procurar as fotografias do homem que mora na Favela do Sapé, onde os carros foram encontrados, e vimos que batia com uma das pessoas que apareciam nas imagens das câmeras dos motéis. A partir dele, descobrimos os outros suspeitos”, explicou o investigador.

“Nas imagens gravadas pelo circuito interno dos motéis, vê-se claramente as imagens dos autores, que agiam com extrema violência e muita audácia, na medida em que, mesmo após roubarem os clientes nos quartos, eles permaneciam na recepção e ali ficavam abordando os outros clientes que entravam no estabelecimento”, comentou Celso Lahoz Garcia, delegado titular do 93º DP e que responde pela titularidade do 51º DP.

Após a identificação, a Polícia Civil pediu a prisão temporária dos suspeitos . A Justiça decretou e, na tarde de sexta-feira, dia 29 de junho, os policiais do 51º DP prenderam M.A.N., de 27 anos, e D.A.S.P., de 21, na Favela do Sapé. O marceneiro P.R.S. de 34 anos, conhecido como Chocolate, também foi identificado e está foragido.

Com a dupla foram encontrados diversos objetos roubados dos motéis e dos clientes, como bolsas, MP3, duas televisões, peças de computador, celulares, roupas e relógios. Os funcionários dos estabelecimentos e alguns clientes reconheceram os autores. Os objetos recuperados estão sendo entregues às vítimas.

Existem outros inquéritos policiais instaurados pelo 75º DP e 34º DP, os distritos também darão continuidade aos trabalhos de polícia judiciária. O trio foi indiciado por roubo qualificado, formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo.

    Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG