Inquérito do caso Yoki irá para a Justiça de São Paulo

Assassinato de executivo da empresa de alimentos aconteceu em São Paulo. Partes do corpo foram encontrados em Cotia

Agência Estado |

Agência Estado

Carlos Pessuto/Futura Press
Elize confessou que matou e esquartejou o marido

O inquérito da Polícia Civil que investiga a morte de Marcos Matsunaga, diretor executivo da Yoki, uma das maiores empresas de alimentos do País, será encaminhado, em caráter de urgência, para a Justiça de São Paulo. A determinação é do juiz da Vara Criminal de Cotia, na Grande São Paulo. Marcos Matsunaga foi assassinado dentro de seu apartamento, na zona oeste de São Paulo, no dia 19 de maio. Elize Matsunaga, então mulher do executivo, confessou o crime.

Leia também: Laudo indica que empresário teria sido decapitado ainda vivo, diz advogado

Para o juiz Théo Assuar Gragnano, como o crime aconteceu na capital paulista e apenas o crime de ocultação de cadáver foi em Cotia, "os dois delitos são evidentemente conexos e, sendo assim, tem preponderância, na determinação da competência, o lugar da infração à qual for cominada a pena mais grave", disse o magistrado. Pesou também na decisão da transferência do inquérito o fato de haver um pedido de prisão preventiva contra Elize Matsunaga pendente de apreciação.

    Leia tudo sobre: elizeyokicrimeesquartejamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG