Mais de 3,8 mil pessoas vão trabalhar na segurança e limpeza da Parada LGBT

Prefeitura monta esquema de fiscalização e limpeza da região da avenida Paulista durante a  16ª edição da Parada do Orgulho LGBT, neste domingo, em São Paulo

iG São Paulo |

Mais de 3,8 mil pessoas vão trabalhar na segurança e limpeza da 16ª Parada do Orgulho LGBT, que será realizada a partir das 12h deste domingo (10/06), na região da avenida Paulista, em São Paulo. Segundo a prefeitura, o efetivo total está dividido entre agentes ambientais, policiais militares e guardas civis metropolitanos, além de supervisores dos serviços.

A limpeza e fiscalização terão início neste sábado. A prefeitura vai disponibilizar mil pessoas nos trabalhos de limpeza, 1.300 lixeiras, 167 veículos e equipamentos, para garantir o bom andamento do evento. 

Durante a Parada, todo o efetivo de agentes ambientais atuará nas vias do percurso. Após a passagem do grande fluxo de pessoas, a Polícia Militar faz um cordão de isolamento e são recolhidos primeiramente os resíduos seletivos, e em seguida varredores e varredeiras mecânicas iniciam de imediato a limpeza. Se chover, os trabalhos de lavagem das vias serão intensificados.

A novidade neste ano fica por conta da utilização de sete varredeiras mecânicas, que agilizam os trabalhos, além de um caminhão sugador para a limpeza imediata de bocas de lobo, se houver necessidade, em função das chuvas. Ao todo serão 140 veículos, entre caminhões coletores, pipas para a lavagem, e outros para a fiscalização e apreensão de mercadorias ilegais. Também ficarão à disposição 22 PEV´s (Pontos de Entrega Voluntária) e 5 conteineres para o recebimento de recicláveis e outros resíduos. A coleta seletiva estará presente através de 100 cooperados de três cooperativas diferentes. 

O evento se encerra oficialmente às 19h, contudo, os trabalhos de limpeza deverão se estender até o início da segunda-feira (11/06), especialmente na região do Largo do Arouche, onde há a maior concentração de pessoas ao final.

Segurança e Fiscalização

Serão destacados 1.500 policiais militares, 600 guardas civis metropolitanos e 250 seguranças particulares para garantir a segurança dos participantes. Entre fiscais e coordenadores para os serviços de limpeza e apreensão de mercadorias irregulares, a prefeitura vai disponibilizar 53 pessoas, além de 200 agentes de apoio.

A Secretaria de Participação e Parceria disponibilizará 160 leitos, distribuídos em quatro hospitais de campanha, ao longo do percurso da Parada LGBT, localizados na Consolação com a Paulista; no recuo do Cemitério da Consolação e na rua Maria Antônia; além de 25 ambulâncias de remoção e outras 15 com equipamentos de UTI. 

Duas áreas estarão disponíveis para serviços de segurança onde estarão oficiais da Policia Militar, Policia Civil e Guarda Civil Metropolitana. Uma delas estará localizada na área de recuo do cemitério da Consolação onde estará montado um Telecentro com 20 computadores, conexão de internet e equipe técnica para apoio no preenchimento de boletins de necessário.

Este ano também estará disponível um sistema de monitoramento de ruas, avenidas, corredores urbanos para garantir o bem estar e proteção dos participantes durante todo o trajeto da Parada, operado pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, Polícia Civil do Estado de São Paulo e a Guarda Civil Metropolitana estarão utilizando o Sistema ocorrência, se de monitoramento.

    Leia tudo sobre: Parada GayParada LGBTParada do Orgulho LGBT

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG