Retrato em 3D dá nova chance a famílias de desaparecidos em São Paulo

Tecnologia da Progressão de Idade da Polícia Civil faz parte do programa de busca aos menores desaparecidos lançado hoje pelo governo

Carolina Garcia, iG São Paulo |

O governo do Estado de São Paulo inaugurou nesta sexta-feira o programa “São Paulo em Busca das Crianças e dos Adolescentes Desaparecidos”, no Palácio dos Bandeirantes, na zona sul da capital. O evento contou com a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Na ocasião, foi criada ainda uma Comissão Permanente da Criança e do Adolescente, que envolve as Secretarias de Estado da Segurança Pública, Justiça e Defesa da Cidadania Direito das Pessoas com Deficiência, Desenvolvimento Social, Educação e Saúde.

Leia também: Retratos falados ajudam na resolução de 70% dos crimes em SP

A inauguração do pacote de ação marcou também o dia 25 de Maio como o “Dia Estadual da Criança e Adolescente Desaparecidos”. O decreto, assinado pelo governador, obriga a identificação, por fotografia digitalizada, de todas as crianças e adolescentes até 18 anos, em cada matrícula ou renovação de inscrições nas instituições de ensino (incluindo creches) e de saúde.

Divulgação/SSP
No telão, um exemplo de Progressão de Idade de uma criança desaparecida há 19 anos em São Paulo

Segundo o governador, o objetivo é abastecer o banco de dados do Estado com fotos e informações atualizadas. "Precisamos prevenir e encontrar os desaparecidos por meio das informações atuais do banco de dados da polícia. Por isso, a importância de se atualizar essa fonte importante de informações", explicou.

A grande aposta do programa é a Progressão de Idade em 3D realizado pela equipe forense do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil de São Paulo. Com um tempo médio de preparo de 30 dias, o novo retrato poderá “dar nova chance” às famílias que têm crianças desaparecidas há muitos anos. “Não podemos desistir dessas crianças. Acredito que não há dor mais profunda e dura de uma família que passa por essa experiência”, disse Alckmin.

Infográfico: Polícia usa tecnologia para combater o crime

O coordenador da arte forense do DHPP, Sidney Barbosa, explicou que o novo método pode sim resgatar buscas que já duram pelo menos 10 ou 20 anos. “É feita uma análise das características da família e fotos da vítima em diferentes fases até o desaparecimento”. Barbosa contou ainda que tal método é definitivo na identificação de vítimas em imagens das câmeras de seguranças. “Tínhamos uma imagem do desaparecido, mas o ângulo não favorecia seu reconhecimento. Agora não há mais esse empecilho.”

Atualmente há 40 mil pessoas desaparecidas em todo o Brasil, sendo 9.000 no Estado de São Paulo. O secretário de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, informou que em 2011, 9.395 crianças e adolescentes desapareceram e 7.541 voltaram para seus lares. Neste ano, de janeiro a abril, 3.529 sumiram e 2.766 retornaram às suas casas.

Violência doméstica


A secretária de Pessoas com Deficiências, Linamara Batistella, informou que 70% dos desparecimentos estão relacionados à violência domestica e a maioria vê a fuga como solução para os problemas no lar. Entre essas que decidem fugir, a maioria (53%) é reincidente. “Elas (as crianças) estão cansadas de brigas, violência física e trocam a segurança da casa pela rua”.

O programa “São Paulo em Busca das Crianças e dos Adolescentes Desaparecidos” está presente a partir de hoje em forma de cartazes nos vagões dos trens do Metrô e da Companhia Paulista dos Trens Metropolitanos (CPTM). Na próxima terça-feira (5), será realizada a capacitação dos profissionais das estações para que reconheçam uma criança ou adolescente em situação de risco.

O que fazer

Em caso de desaparecimento, a família deve ligar imediatamente para o 190 e ir até uma delegacia para fazer o boletim de ocorrência. Desde 2005, não é necessário esperar 24h para comunicar a polícia. O Boletim de Ocorrência (B.O.) pode ser feito no DP mais próximo ou pela internet, clique aqui . É importante levar fotos e documentos da criança ou do adolescente desaparecido.

Ainda serão divulgados folders com informações e dicas para a prevenção do desaparecimento. São as principais: manter-se atento e não descuidar das crianças durante passeios; conversar e observar comportamentos diferentes; fazer a carteira de identidade (RG) o mais rápido possível e ensinar a criança a portá-la e ensinar seu nome, nomes dos pais, endereço e telefone. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG