São Paulo se candidata a sediar Exposição Universal em 2020

Centro de convenções deve ser construído em Pirituba com investimentos de R$ 4 bilhões. “Cidade será outra depois de 2020”, diz governador

Alexandre Dall´Ara |

Divulgação
Torre de Energia Renovável
A Prefeitura de São Paulo apresentou oficialmente nesta quinta-feira candidatura para sediar a Expo 2020. Considerado o terceiro maior evento internacional, atrás apenas das Olimpíadas e da Copa do Mundo, a Exposição Universal ( visite o site em inglês e francês ) é conhecida por deixar a Torre Eiffel como legado a Paris (França), no fim do século 19. O evento é realizado a cada cinco anos desde 1851.

Segundo o prefeito Gilberto Kassab, se a candidatura for vitoriosa, “coroaríamos uma década trazendo luz para o País, que se coloca cada vez mais como uma grande nação do planeta". O Brasil sediará a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016.

Na cerimônia, realizada na prefeitura, também estavam presentes o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e Vicente Loscertales, secretário-geral do Bureau Internacional des Expositions (BIE), entidade responsável pela organização do evento e escolha da cidade sede. “São Paulo é uma cidade com vocação mundial e esta é uma oportunidade transformadora. A cidade será outra depois de 2020”, disse o governador.

De acordo com Alckmin, os investimentos de até R$ 4 bilhões para a construção de um centro de convenções, em Pirituba, devem contar com recursos do Estado.
Candidatura

A capital paulista se candidatou com o tema “Força da diversidade, harmonia para o crescimento”, que agradou o secretário-geral do BIE. Loscertales afirmou que “a principal vantagem do País é a própria diversidade”. Outras quatro cidades estão na disputa: Ayutthaia, na Thailândia; Dubai, no Emirados Árabes Unidos; Ecaterimburgo, na Rússia; e Izmir, na Turquia.

AE
O secretário-geral do Bureau Internacional de Exposições (BIE), Vicente Loscertales, durante o Seminário Expo 2020
Segundo o secretário executivo do Comitê São Paulo Expo 2020, Corlos Kendi Fukuhara, a ideia da candidatura surgiu em 2010, quando a cidade montou um estande bem-sucedido dentro do espaço de exposição do Brasil. “O Brasil está em destaque. Temos de mostrar nossa cara. A candidatura é do País. São Paulo é apenas a cidade anfitriã.”

A exposição mais recente foi em 2010, em Xangai, na China. Em 2015, será realizada em Milão, na Itália. O evento dura seis meses e conta com programação diversa. Cada país expositor cria seu próprio estande no centro de exposições e apresenta novas tecnologias, programação cultural e eventos relacionados ao tema geral.

Expo São Paulo

O Parque de Eventos Expo SP, em Pirituba, deve ser construído mesmo se a cidade não for escolhida para sediar a Expo 2020, segundo o governador Geraldo Alckmin. O projeto determina um terreno de 5 mil km quadrados, o equivalente a mais de três parques Ibirapuera. A área de exposições projetada é de até 600 mil metros quadrados – sete vezes maior do que o Anhembi. Além das construções, haverá um parque, um teleférico e uma via no formato de um grande número oito interligando o complexo.

O principal marco será a Torre de Energia Renovável. Acessível por meio de teleféricos, a estrutura contará com restaurante e mirante. As cidades sedes das Exposições Universais seguem a tradição de Paris, que construiu a Torre Eiffel para o evento. Em Portugal, por exemplo, a torre Vasco da Gama também virou ponto turístico.

O local, próximo à rodovia dos Bandeirantes, já foi declarado de utilidade pública. Ainda não existe previsão para início das obras em Pirituba, que deve receber até 30 milhões de visitantes durante os seis meses da exposição.

    Leia tudo sobre: exposição universalexpo 2020são paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG