"Espero não ser prejudicada", diz usuária de metrô

Usuários têm dificuldade em chegar ao trabalho por conta da paralisação de metroviários em São Paulo nesta quarta-feira

Carolina Garcia, iG São Paulo |

Carolina Garcia
Edivany, Nilson e Paula não conseguiram chegar ao trabalho no horário por conta da greve
A greve dos metroviários na manhã desta quarta-feira, em São Paulo, está causando transtorno aos usuários. Cerca de 300 funcionários de uma empresa de call center estavam, por volta das 8h30, ao lado da Estação Itaquera, aguardando a chegada de ônibus fretados pela companhia. "Nossa empresa disponibilizou este transporte. Mas nenhum conseguiu chegar aqui até agora", contou Edivany de Moura, de 22 anos.

Veja imagens da greve dos metroviários em SP

A atendente de call center chegou ao local por volta das 6h40. Ela diz que a empresa mapeou pontos estratégicos para pegar os funcionários. "Estou tentando avisar meu supervisor mas ninguém na empresa atende. Espero que eu não seja prejudicada por isso."

O casal Paula Alessandra Souza, de 36 anos, e Nilson Silva Nicodemus, de 45, que trabalha na mesma empresa de Edvany, teve de caminhar deste a Estação Artur Alvim até a Itaquera porque os ônibus da Paese (disponibilizados em situações de emergência) estão lotados.

Carolina Garcia
Enfermeira Gerci Oliveira não sabia da greve
A enfermeira Gerci Gomes de Oliveira, de 53 anos, trabalha para um casal de idosos há 5 anos na bairro Jardim América. "Moro em Tiradentes. Em dias normais, faço o trajeto em apenas 30 minutos." Como não sabia da greve, ela não saiu mais cedo de casa."Foi uma surpresa quando ouvi comentários dentro do ônibus sobre a greve. Logo pensei no casal de idosos que cuido. Entendo o direito dos trabalhadores de reivindicar melhores condições de trabalho, mas parar tudo acaba destruindo o trabalho dos outros. É um desrespeito."

O segurança Fábio Pereira dos Santos, de 36 anos, teve de pegar um ônibus até a estação Paraíso porque a estação Santana, por ele utilizada diariamente, está fechada. Santos reclamou de não ter sido informado na estação Paraíso de que a Linha Azul não estava operando totalmente.

"Paguei a passagem, ninguém me avisou e, depois de viajar somente uma estação, tive que descer. Agora, no meu segundo dia de trabalho, vou ter que andar até a estação Vila Mariana." Santos disse que estava ciente da greve antes de sair de casa, mas pensou que os funcionários iriam respeitar a decisão judicial que determinou 100% do efetivo do Metrô nos horários de pico.

Everton Leite da Silva, de 26 anos, é prestador de serviços da AES Eletropaulo há 10 meses. Ele mora na região do Jardim Novo Horizonte, zona leste, e precisava chegar ao bairro de Pirituba, zona sul, onde realiza um curso de oficiais da Eletropaulo. "Estou na última semana do curso para virar um oficial. Como vou faltar hoje, atraso minha formatura. Não tem nem como avisar ou justificar minha falta", disse. Ele está na última semana de aulas, que começam às 8h30.

AE
Everton Leite da Silva perdeu aula de um curso que faz pela empresa onde trabalha
Com o curso, Silva deixa de ser ajudante e passa para técnico com um aumento salarial de R$ 300. "Sou forçado a adiar essa oportunidade de melhorar meu trabalho". Às 10h10, Silva foi informado por agentes da SPTrans, que organizam a chegada dos coletivos, que não havia ônibus do Paese saindo da estação itaquera para Pirituba. "Você sai contente de casa achando que está conquistando algo melhor e tem que enfrentar essas dificuldades. O jeito é voltar para a casa agora", disse desanimado.

Às 4h40, apesar dos portões do Metrô encontrarem-se fechados, a situação em frente à estação Sé, no centro, ainda era de tranquilidade, em razão do horário. Em frente à estação Vila Mariana, na zona sul, a situação era idêntica às 5 horas. Duas viaturas da Polícia Militar estavam estacionadas para garantir a segurança das pessoas e que nenhum ato de vandalismo ocorra.

"Eu trabalho em São Bernardo do Campo e tenho que entrar no serviço às 7h30. Não estava sabendo da greve", disse o pedreiro Jeremildo Santos Sales, de 34 anos, que foi pego de surpresa ao encontrar a estação Sé do Metrô fachada nesta manhã.

Desconforto

Os ônibus da Paese, que realizaram o caminho da Linha 3-Vermelha, na zona leste, não foram suficientes para garantir o transporte de todos os usuários afetados pela paralisação. Muitos chegaram a ficar mais de 4 horas nos coletivos lotados no trecho entre a estações Corinthians-Itaquera e Terminal Dom Pedro II. Esse foi o caso do vigia Josimar Oliveira, de 75 anos.

Visivelmente cansado, ele contou que saiu do Terminal Jabaquara por volta das 7h30 e apenas conseguiu desembarcar no Pedro II, às 11h30. Oliveira explicou que durante todo o trajeto, os passageiros estavam irritados e muito desconfortáveis com a lotação no ônibus. "Não tem diferença no tratamento entre idosos, crianças e jovens. Muita gente passou mal, é vergonhoso. Hoje vamos ter o horário de pico o dia inteiro", disse o vigia.

Carolina Garcia
Após horas dentro de coletivos, passageiros buscam informações no terminal Dom Pedro II

A mesma dificuldade foi encontrada pela recepcionista Tamires Raquel Rodrigues, de 24 anos. Sabendo da greve, ela deixou sua casa mais cedo, às 6h30, para tentar chegar ao consultório no Jardins, zona sul, no horário. Porém, Tamires só conseguiu entrar em um coletivo às 7h para chegar ao Terminal Dom Pedro por volta das 12h30. "Tentei avisar meu chefe e ele nem respondeu. Penso que ele esteja acompanhando todo esse caos pelo noticiário. Não fico preocupada já que estou fazendo a minha parte."

Diante da dificuldade de encontrar novas opções de transporte, muitos passageiros chegavam ao ponto final do Paese perdidos. "O único trajeto que costumo fazer para ir ao trabalho está impossível. Daqui seguiria para o trem. Como não posso fazer isso, preciso tentar descobrir uma linha que vá até o Brooklin", disse Mérielen Moraes, de 26 anos. "Sabia da greve do Metrô, mas não da CPTM. Calculei errado e corro o risco de não chegar a tempo."

*com AE

    Leia tudo sobre: metrômetroviáriosgreve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG