Para evitar o contágio e diminuir casos de internações e mortes de pessoas contaminadas pelo vírus das hepatites B e C, a Secretaria do Estado de São Paulo da Saúde lançou ontem o Plano Estadual de Prevenção e Controle das Hepatites Virais. O programa estabelece metas para os próximos quatro anos e vai custar R$ 8 milhões anuais.

As principais metas são vacinar, contra a hepatite B, 90% dos adolescentes do Estado, aumentar em 50% a detecção da infecção pelo vírus da hepatite C e em 60% a notificação de novos casos. Outras ações incluem capacitação dos profissionais de Saúde, melhorar o diagnóstico da doença (em parceria com os municípios) e a criação de um banco de dados com informações precisas sobre o número de pacientes em tratamento.

Em todo Estado, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, existem cerca de 400 mil pessoas com hepatite B e 500 mil com hepatite C. Sexo sem preservativo e uso de seringas contaminadas são os principais meios de contaminação da doença, que pode levar à morte. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.