A Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) vai anular aproximadamente 2 mil multas de rodízio que foram registradas indevidamente por alguns radares de fiscalização de trânsito de São Paulo. Uma barreira eletrônica e três radares fixos apresentaram falhas de programação e autuaram irregularmente veículos que teriam desrespeitado o rodízio municipal e caminhões que teriam trafegado em área onde são proibidos.

A SMT informou que "os proprietários autuados receberão aviso de desconsideração de Notificação de Autuação ou aviso de cancelamento de penalidade". As falhas foram detectadas durante uma das vistorias periódicas que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) realiza nos radares.

A maior parte dessas infrações - 1.606 - foi registrada por três radares fixos de velocidade, que apresentaram problemas após o início do horário de verão, em outubro do ano passado. Por causa de falhas na programação, eles operaram durante a época do horário diferenciado com o modelo tradicional - uma hora atrasado - e por isso autuaram veículos por desrespeitarem o rodízio municipal, mesmo quando a regra não estava mais em vigor. O rodízio municipal é válido no fim do dia, das 17 às 20 horas, mas motoristas podem ter sido flagrados, por exemplo, às 20h20, pois para o radar ainda seriam 19h20.

Esses radares estão instalados nas Avenidas Padre Pereira de Andrade, Paulo VI, ambas na região de Pinheiros, e Mutinga, em Pirituba. Outras 414 infrações irregulares foram registradas por uma barreira eletrônica na Rua Major Paladino, próximo da Rua Policastro da Cruz, na Vila Leopoldina. Nesse caso, o equipamento autuou caminhões que teriam desrespeitado a Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) - local onde os caminhões podem circular somente das 21 às 5 horas. No entanto, esse local não faz parte da ZMRC. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.