SP reduz total de bebês infectados com HIV na gestação

No Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado hoje, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo informa que o número de crianças que se infectaram com o vírus durante a gestação, parto ou logo após o nascimento no Estado caiu de 418 casos no ano de 1997 para 58 notificações em 2007, o que representa uma queda de 86,12%. Com a descentralização dos serviços de saúde, a atenção para o parto e os cuidados no pré-natal ficaram mais eficientes e focados nas necessidades de cada cidade.

Agência Estado |

Dessa forma, São Paulo conseguiu alcançar bons resultados", explica Luiza Harumi Matida, médica pediatra responsável pela área de Transmissão Vertical e Sífilis do Centro de Referência e Treinamento de DST/Aids.

As notificações por município também registraram queda. Em 1997, 107 municípios paulistas registraram casos de transmissão vertical; em 2007 o número de cidades caiu para 42 - queda de 38,3%. A cidade de Sorocaba, que é pioneira nesse tipo de trabalho preventivo, não registra casos de transmissão vertical desde 2005. Um levantamento realizado pela secretaria aponta que as crianças soropositivas nascidas entre 1997/98 têm o período de sobrevida ampliado em até 183% em comparação com as nascidas de 1988/92.

A sobrevida média saltou de 6,7 meses em 1991 para 84,4 meses em 1998. A estimativa do Programa estadual é que as crianças nascidas entre 1999 e 2002 vivam ainda mais: nove anos. A garantia ao acesso universal da terapia anti-retroviral associada à ampliação da cobertura de testes anti-HIV nas gestantes tem contribuindo para a diminuição da mortalidade, com conseqüente aumento da sobrevida das crianças soropositivas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG