Famílias que vivem nas áreas que ainda estão alagadas no Jardim Pantanal, zona leste da capital, após os temporais da semana passada, serão removidas pela Prefeitura. Pelo menos três mil famílias devem deixar o local, onde será instalado o Parque Linear Várzea do Tietê.

As famílias serão incluídas nos programas de assistência da Secretaria Municipal de Habitação.

O cadastramento das famílias que serão removidas deve começar a ser feito ainda nesta semana, mas a assessoria de imprensa da prefeitura não soube informar quando os cadastrados serão retirados do local. Em sua primeira visita à região após o alagamento, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) declarou que as áreas onde serão construídas as novas moradias estão sendo identificadas. "Foi constituído um grupo de trabalho com a Cohab, com apoio de todos os órgãos públicos, e Caixa Econômica Federal. Há duas áreas identificadas para que possamos construir novas unidades habitacionais", disse.

As chuvas da segunda e terça-feira passadas inundaram nove áreas do Jardim Pantanal, onde vivem 60 mil pessoas: Vila das Flores, Vila Seabra, Chácara Três Meninos, Jardim Romano, São Martinho, Jardim Novo Horizonte, Vila da Paz, Vila Aimoré e Vila Itaim. Alguns pontos continuam alagados e a previsão é que a água seja escoada até o final da semana, se não chover.

Parque

Para evitar a repetição dos problemas no caso de futuras inundações no Jardim Pantanal, município e governo do Estado decidiram antecipar as obras de execução de parte do Parque Linear Várzea do Tietê. Os trabalhos, cuja previsão de início era em 2012, serão iniciados nesta semana.

A secretária de Saneamento e Energia, Dilma Pena, afirmou que o governo do Estado solicitou ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que os recursos para o financiamento da obra no parque sejam repassados até o primeiro semestre de 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.