Balanço epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo informou hoje que nenhum caso de rubéola foi confirmado no Estado este ano. De acordo com a pasta, o resultado positivo é fruto direto da campanha de vacinação contra a doença realizada em agosto e setembro de 2008.

Na ocasião, cerca de 13 milhões de pessoas, entre 20 e 39 anos de idade, foram vacinadas.

Embora ainda haja cinco casos suspeitos sendo investigados, a tendência é a de que o número de ocorrências de rubéola seja muito menor do que nos dois anos anteriores, segundo a secretaria. Em 2007, ocorreram 1.659 casos de rubéola no Estado, maior número desde 2000, com maior incidência entre os homens. Já em 2008, ano da vacinação em massa, foram registrados 746 casos.

A rubéola normalmente é uma doença infecciosa benigna, mas, quando ocorre durante a gestação, há o risco de Síndrome da Rubéola Congênita, que pode comprometer o desenvolvimento do feto e causar aborto espontâneo, morte fetal e malformações congênitas, como surdez, glaucoma, catarata e diabetes. Os principais sintomas da doença são febre baixa, manchas no corpo, dores articulares, conjuntivite, coriza e tosse.

Solange Spigliatti

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.