O secretário de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, Rogério Amato, disse hoje em Santos, na Baixada Santista, que até o final do ano o Governo do Estado saberá o que cada família paulista recebe de ajuda assistencial municipal, estadual e federal. Batizado de Família Paulista, o programa congrega todos os auxílios para que se aprimore a gestão.

"Vamos saber dos programas de transferência de renda, do leite, do transporte, do remédio", disse Amato em reunião na Agência Metropolitana da Baixada Santista com representantes das prefeituras da região. "Esse é um sonho de todas as pessoas que lidam com desenvolvimento social na área da assistência", completou.

A secretaria anunciou investimentos de R$ 5,68 milhões na Baixada Santista, sendo R$ 2,8 milhões enviados aos nove municípios e outros R$ 2,8 milhões repassados diretamente aos programas beneficiários dos dois programas estaduais de transferência de renda, o Ação Jovem (R$ 1,7 milhões) e o Renda Cidadã (R$ 1,1 milhão). No entanto, o secretário admite que nos últimos dez anos não houve aumento nos recursos repassados para as entidades conveniadas aos programas assistenciais.

"Quando você tem um orçamento, tem uma parte para custeio e manutenção e outra parte para investimentos. O que acontece é que o custeio acaba ficando permanente", disse Amato, completando que hoje é praticamente impossível se falar em aumento de recursos por causa da provável queda na arrecadação ocasionada pela crise econômica. "Nós, gestores, temos essa missão: fazer mais com menos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.