SP atinge sua menor taxa de mortalidade infantil, aponta Seade

O Estado de São Paulo atingiu em 2007 o menor índice de mortalidade infantil de sua história, segundo balanço da Fundação Seade com base nos dados da Secretaria de Estado da Saúde. A taxa passou, em 2006, de 13,3 óbitos de crianças menores de um ano por mil nascidas vivas para 13,1 em 2007.

Agência Estado |

Em relação a 2003, quando o índice era 14,8, representa queda de 11,5%.

Segundo informações da secretaria do Estado, o aprimoramento da assistência ao parto e à gestante, a ampliação do acesso ao pré-natal, a expansão do saneamento básico e a vacinação em massa de crianças pelo SUS (Sistema Único de Saúde) são os principais motivos para a queda na taxa de mortalidade infantil, que é considerado o principal indicador de saúde pública, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

Na região metropolitana de São Paulo o índice de 2007 foi de 12,9, contra 13,3 no ano anterior, 13,4 em 2005, 14,4 em 2004 e 14,8 em 2003. Dos 645 municípios paulistas, cerca de 250 apresentaram índice de mortalidade infantil inferior a dois dígitos, comparável a países desenvolvidos.

Barretos foi a região do Estado que apresentou a menor taxa de mortalidade infantil em 2007, com 10,3 óbitos por mil nascidos vivos, seguida por Araraquara, com 10,7, e Presidente Prudente, com 11,0. Na comparação com 2006, Presidente Prudente também se destacou por registrar a maior queda do índice em apenas um ano: 18,7%.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG