Souza pode trocar Procuradoria-Geral pelo STF

A saída esperada para logo de dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Ellen Gracie e Eros Grau, fez subir a cotação do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, para uma dessas vagas. Ontem, o procurador foi ao gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para uma conversa reservada.

Agência Estado |

Souza completa seu segundo mandato como procurador-geral em junho e já avisou que não aceitará ser reconduzido.

Ao mesmo tempo, Souza não demonstra publicamente nenhum interesse em disputar uma vaga no Supremo. Ao contrário, a pessoas próximas ele confidenciou que pretende se aposentar, cuidar da saúde - ele enfrentou um problema cardíaco recentemente - e dividir com o filho um escritório de advocacia.

No Palácio do Planalto, assessores da Presidência dizem que na conversa o procurador teria praticamente se despedido. Ele agradeceu as duas indicações para o cargo e pediu ao presidente que compareça à posse do próximo procurador-geral. O sucessor de Antonio Fernando de Souza ainda não foi escolhido. O candidato mais cotado é o atual subprocurador-geral, Roberto Gurgel.

Apesar de não se movimentar para disputar uma vaga no Supremo, Souza teria entre os ministros apoio praticamente garantido e empolga mais do que o advogado-geral da União, José Antonio Dias Toffoli, favorito para ocupar a vaga que deve será aberta com a aposentadoria da ministra Ellen Gracie. Como avaliou um ministro da Corte, Toffoli seria recebido pelos demais colegas “sem resistências”; Souza seria “acolhido com entusiasmo”.

De acordo com pessoas próximas a Lula, os candidatos mais cotados para as duas vagas são Toffoli e o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Cesar Asfor Rocha. Porém, Lula ainda não bateu o martelo e estaria testando os dois nomes, especialmente o de Toffoli. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG