BRASÍLIA - Somente um deputado acompanhou do começo ao fim a audiência pública para avaliar as conseqüências das decisões tomadas após o encerramento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Crise Aérea. Marcada para esta quinta-feira, 17 de julho, data que marca um ano do acidente do vôo 3054 da TAM, o tema tomou conta dos debates entre os convidados e o deputado Jorginho Maluly (DEM-SP).


Além de Maluly, também estiveram presente o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente e o relator da CPI da Crise Aérea, deputados Marco Maia (PT-RS) e Marcelo Castro (PMDB-PI), respectivamente, além de representantes da Aeronáutica, da Anac e da TAM.

Como os deputados citados faziam parte da mesa do evento, somente Maluly assistiu toda a sessão na condição de parlamentar. Ele lamentou a ausência dos colegas e taxou de "falta de consideração" com as vítimas e com o sistema aéreo brasileiro a ausência dos parlamentares.

Para ele, cada liderança partidária deveria ter, "no mínimo", enviado um representante para o evento.

Leia também:


Acidente em imagens

Ainda:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.